quarta-feira, novembro 30, 2005

CUSPIDA NO ZÓIO

O KARMA DA BALANÇA TRANSPARENTE

A gordinha séria, toda limpinha, exibe sua nova roupa de “ginástica”. É árdua esta sua batalha.Dez quilos a separam dos rapazes de gola alta.

Desliga a Malhação, é hora de entrar em forma Soninha.

SÓ FALTOU REBOLAR.

Você não precisa ser astrólogo nem tarólogo, muito menos numerólogo. Tente usar a famosa massa cinzenta, perceba comigo amiguinho, será que o índividuo que entra bem devagar na sala “quer se aparecer”? Orgulhoso dono de um andar maroto, louco pra beber água da chuva. Só faltou rebolar.

terça-feira, novembro 29, 2005

A PADARIA DO CAPETA

Jezebel acendeu mais um cigarro antes de ir para o inferno. Tarada, suada, desejada, quase molhada. Dia desses se enrolou com o Maurício, dono de uma rede de padarias italianas.

Vamos tentar de novo.Talvez agora inspirado na pintura deste brilhante comercial de produtos de limpeza.

Jezebel acende mais um cigarro, que chique essa loira tatuada. Um drink , jogo capilar pro céu lunar do ventilador,um sonho de consumo : calça de veludo. Jezebel acende mais um cigarro antes de ir para o inferno. Vai logo filha da puta, acaba com isso.

É muito previsível o final dessa tragédia. Infidelidade seguida de morte na padoca. A mulher de Maurício, gorda noveleira do cabelo borrado, pega Jezebel com a mão na massa, na padoca. Maurício jura inocência. Sua mulher, Eleonora , desconfiava do chifre à muitos cegos carnavais, fazia-se de sonsa pelas noites de jantares sofisticados e conversa neutra.

De supetão aporta a velha corna, surge com ódio nas têmporas dentro da bêbada madrugada, a chave reserva de uma das padocas na mão esbranquiçada, senhora dos anéis, mete pipoco nos dois. Não sobrou tempo pra Jezebel colocar a calcinha listrada, morreu molhada. É a matança na padoca.

A PADARIA DO CAPETA

Jezebel acendeu mais um cigarro antes de ir para o inferno. Tarada, suada, desejada, quase molhada. Dia desses se enrolou com o Maurício, dono de uma rede de padarias italianas.

Vamos tentar de novo.Talvez agora inspirado na pintura deste brilhante comercial de produtos de limpeza.

Jezebel acende mais um cigarro, que chique essa loira tatuada. Um drink , jogo capilar pro céu lunar do ventilador,um sonho de consumo : calça de veludo. Jezebel acende mais um cigarro antes de ir para o inferno. Vai logo filha da puta, acaba com isso.

É muito previsível o final dessa tragédia. Infidelidade seguida de morte na padoca. A mulher de Maurício, gorda noveleira do cabelo borrado, pega Jezebel com a mão na massa, na padoca. Maurício jura inocência. Sua mulher, Eleonora , desconfiava do chifre à muitos cegos carnavais, fazia-se de sonsa pelas noites de jantares sofisticados e conversa neutra.

De supetão aporta a velha corna, surge com ódio nas têmporas dentro da bêbada madrugada, a chave reserva de uma das padocas na mão esbranquiçada, senhora dos anéis, mete pipoco nos dois. Não sobrou tempo pra Jezebel colocar a calcinha listrada, morreu molhada. É a matança na padoca.

segunda-feira, novembro 28, 2005

Panela Véia

E vai Juliana Seios, linda mulher. Um aroma de tédio, gingado vulgar de fazer caboclo delirar.
Agora é a vez de Jaqueline, desfila sem graça pra rapaziada um X-BARRIGUDÃO DOIS ANDARES. E tome boca gorda suja de mostarda, as moscas sabem rejeitar.

O importante é cada linha ser feliz. Juarez levou um tiro nos cornos. Mereceu.

Juarez, o marido de Juliana, que teve Jaqueline por falta de sorte . Jaqueline, filha legítima de Juarez, que encaçapou Juliana, que dormiu com Juarez em troca de um prato de arroz.
Mas Jaqueline só queria saber era de faturar um X-BARRIGUDÃO DOIS ANDARES, sempre depois do expediente. Juliana Seios, linda mulher. Panela Véia.

Passado o funeral as duas decidem juntar os cacos humilhados e recomeçar do zero. Que triste. Juliana Seios engatou então açucarado romance com um habilidoso entregador de pizzas; passeavam de motoca religiosamente às sextas.

Aqui é que entra a genialidade do escritor: o entregador de pizza decidiu bolinar Jaqueline também. Encrenca. Não obstante, a crocodilagem de Jaqueline terminou em pizza : Juliana Seios transmutou-se rapidamente em uma barulhenta vaca assassina e experimentou seis facadas no pânceps do indivíduo. Panela Véia. O presunto da pizza que não veio tonight.

domingo, novembro 27, 2005

Vozerio do Inferno - A sutileza catastrófica de Mário Mariones

Alex almejava passar em uma universidade pública, isso é fato. Ao longo do ano travou sangrentas batalhas com livros,cadernos, apostilas e exercícios carrancudos; decorou sete bíblias de conhecimento puro. Enfim, encontrava-se confiante e tranquilo para o vestibular da Vunesp.

Apenas não contava com a síndrome do intestino solto. "Ô fiscal, será que dá pra usar o banheiro?"

E agora Alex?

OUVINDO HARDCORE E LENDO ESCRITORES BRASILEIROS E DO TIO SAM

As pessoas estão sem coragem.  As pessoas brincam verbalmente nas redes sociais perpetuando o lado cômodo da vida.  Já é uma bela bos...