sábado, janeiro 20, 2007

HOJE É QUARTA, APARÍCIO!


Aparício adentra ao recinto. Dá uma balangada classuda no saco, que coça, coça, coça, está coçando uma barbaridade. Seu relóginho de pulso da NIKE marca duas e dez, estamos cegos numa quarta-feira nublada, o Santos pega o Barueri logo mais, com transmissão da Rede Bandeirantes. No final de semana recorda que traçou o anus de Natália, garota dos seios mágicos e de sensual marquinha de biquini, apesar do claudicante mau hálito. No entanto, Aparício aprecia mesmo é a barba cerrada de Gílson. Na fila do banco todas as pelotas que o pensamento cria são centradas nesta pessoa: as deliciosas e já nostáligas partidas de Play 2 juntinhos, os pedaços de maças partilhados nas reuniões do PSDB - tudo ganha, tudo adquire uma bossa especial; faz-se como contorno delicado no alçapão ritualístico que é a memória do rapaz.

A fila atravancada dificulta o trânsito do bom humor. Uma senhora cheia de si, cabelo tingido de pêssego, a portar culotes e celulites aos montes, desmaia. Aparício acompanha então a movimentação: os clientes tentam rapidamente socorrer a porpeta. Ela está com aspecto deplorável, sua pele nívea empalidece gradativamente. Parece que apanhou todos de supetão, realmente. Na verdade Aparício continua a cutucar seus testículos, a fila demora, slow, a fila mata de tédio o corredor magricela da alma do jovem pederasta. Aparício então sente-se currando a porpeta prestes a falecer. Imagina jatos de seu esperma invadindo parte da orelha da vítima. Enquanto insere seu pênis na gasta gruta da bolonha, ela ranga com satisfação lasanha. A fila então vai parar num presídio, os componentes transmutam suas peles com acne para algo próximo de uma peça epiletial de zumbis extraordinários. A porca vomita queijo ralado e falece no chão frio - nenhum valentão consegue erguer a gorda. Tratava-se da mamãe de Gílson. Segundo informações da polícia, ela teria flagrado o filho prestando serviços na noite de terça, e, ao ver o amante do filho no local, encerrou as atividades. A fila do banco prossegue e o escrotal de Aparício encontra-se extinto.

quarta-feira, janeiro 17, 2007

Café, fiozitos de cabelos ao léu, condição física e cinema pra burro

Foram quatro doses, alternadas em bares distintos, óbvio. Da lanchonete experimental da estação ferroviária ao mais que clássico "Mamada Obrigatória"; da penumbra do Bar 3 Colunas da avenida da Saudade à chinesa zarolha com dificuldades em assimilar a gramática brazuca no bar ao lado da "casa de fliper" Zig Zag...SORVI PRESIDENTE, sob a tutela de minha amada patroa.
Um latão de skol foi consumido antes do ínicio da mini odisséia, adquirido por módicos R$ 1,59 no supermercado "Compre Bem", presidido nas dependências do shopping center da roça.


***
Um cachorro morto virou motivo de missa e de composição por pagodeiros de um bairro tingido de bosta na sombra do mundo. O pequeno cãozinho Alfie era vistosa causa de orgulho por diversas pessoas e deficientes auditivos desta cidade modorrenta. O pároco local havia masturbado furiosamente o animalzinho anteriormente e o front man do grupo Timelei confirma ter sodomizado o mesmo em noite de aurora.

***

Renato Blues agrediu um colega de profissão. Godofredo compunha seu quadro de estagiários e decididamente riu de uma piada do naipe "Você toca o quê?" feita por um rapaz ajuidado e em função deste episódio teve como refrão uma face de "poucos amigos" apresentada por Renato. Na sequencia teve seu rosco difamado por uma moqueta canhota. A bifa parece ter sido engenhosa, visto que configurou grave estado de saúde para Godofredo. A mamãe de Godo, como é conhecido nos estabelecimentos que frequenta, encerrou todas as sessões de aplicação de florais no bairro e agora está disposta a conversar pessoalmente com Renato Blues. Os dois não transam desde o verão passado, quando o último coito acendeu Washington.

***
Pepsi está com o cu na palma da mão. Ele também fez uma pastinha para o jogo de hoje. Será que funciona ser assim?

***
Carla Camurati transa com Tony Tornado e provoca comoção no falecido Raul Cortes. Edinho abençoa essa libido cinco estrelas.

***
Conjuto habitacional é visto como papel toalha. Opção para cavalas e idosas com seios protuberantes, sentindo que caiu a coisa.

***
O faturamento é desportivo. Rebola Rogélio. Tem que ficar esperto, vamos dar valor. Caso você não for atrás não vira nada. Tá jóia.

quarta-feira, janeiro 10, 2007

Opa, faz um tempo mesmo que não encho de cachaça esse brog. Os dias passam ébrios, passionais e com sono tumultuado - tudo muito foda e sambarilove.

***
Maria Petinha ficou na fossa, gritou, gritou, gritou. Zézinho acionou os bombeiros, Maria Petinha aliviou. E agora Zézinho? A Petinha não quer nada contigo, só não quer nada contigo, mané do caralho.

***
Alberto comprou um novo sachê de mostarda. Frequento a casa do figura e ele só sabe ter este motivo como assunto. Alberto. Sachê.

***
A luz do meu banheiro é floydiana.

***
Cachaça e carne, sol besta de megasena...

OUVINDO HARDCORE E LENDO ESCRITORES BRASILEIROS E DO TIO SAM

As pessoas estão sem coragem.  As pessoas brincam verbalmente nas redes sociais perpetuando o lado cômodo da vida.  Já é uma bela bos...