sexta-feira, outubro 30, 2009

GARRAFA VAZIA + O CHEIRO DO RALO NA ANTIGA ESTAÇÃO FERROVIÁRIA DE RIO CLARO

Os costas quentes Muceli e Tchuck ao fundo e na frente Rato, Danilão e Mariones: Garrafa Vazia
Ralo botando pra fudê
Domingão de verdade em Rio Claro
Da Garrafa pro Ralo, o Ralo combustível na Garrafa
Saulera em ação

quarta-feira, outubro 28, 2009

ALGUMAS FOTOS DO SOM DE DOMINGÃO, NA ESTAÇÃO FERROVIÁRIA.



Taí. O pacote invencível de risadas voltou. E, nessa primeira leva das fotos, do sonzão na Estação Ferroviária (com Garrafa Vazia, Cheiro do Ralo,Entre Parentes e outras bandas) estão as fotos tiradas pelo parceirão Frankin. Puta que o pariu, domingo foi um dia fodido demais. Clássico. Tava todo mundo lá: Sebastião Casa Grande, Zanzibar, Léo Gonzáles, Tonhão 3/8 e assim vai! Celebração punk na roça. Crassiqueira pánque. Inesquecível - então ae vão algumas:


O Cheiro do Ralo em ação (da esquerda pra direita: Saulão, Samuel e Toco)

Saulão, Muceli, Mariones e Danilão - punk rock e camaradagem



Essa é só a primeira leva, bem rapidona mesmo. Vou roncar um pouco agora, e depois coloco uma porrada de fotos. É nóise.

terça-feira, outubro 27, 2009

A CASA DO VALDEMAR + RESSACÃO


E o domingão foi punk pra caralho. Tô meio moídão, por isso logo mais já taco uma resenha nervosa, "feita com calma", sobre o som que rolou ontem na Estação Ferroviária. Foi fodido. Aproveitar também pras jogar umas fotos e pá. Sacolé. É nóis. Mas, enquanto isso, vocês podem acessar o myspace do Garrafa Vazia (crica aqui: http://www.myspace.com/garrafavazia)e ouça "Burro pra caralho",gravada direto lá na estação, cortesia do Antônio Três Oitavos.


Pois é, mas estava eu aqui arranhando agora pouco meu violão, quando me saiu essa letra idiota. Achei agradável. Vou mostrá-la aos amigos leitores. Ainda tá no embriozão da coisa. Mas vale a pena por bosta.


A CASA DO VALDEMAR
(Mariones)

Pode um caipira respirar
Se no domingo o Frango Assado
é lá na casa do Valdemar

Só não vale desistir
ou dar de imbecil

Vamo lá! Na casa do Valdemar
Tininha, leva o vinagrete pro quintal
Vamo lá! Frango Assadão, Brasileirão
Futebol, não tem fofoca não

Pode um caipira descansar
Só se for na rede da sogra do Valdemar
Cigarrinho de palha
Porçãozinha de penino, e o holofote no céu pra investigar

E vale se espreguiçar
Porra, a turma toda vai tá lá

Vamo lá! Na casa do Valdemar
Tem o dog Valdizera
Uma baita geladeira
Só maravilhas no lar

É o sucesso!
É o sucesso outra vez...
É o sucesso.

quinta-feira, outubro 22, 2009

PERIPÉCIAS NA RUA MALAQUIAS FÊNIX


Tava rolando aquele namoro tranquilo, na maciota pride. Júnior era mais velho. Tinha mania de enfiar as mãos nos bolsos. Será que procurava Deus? Respostas otimistas em espanhol? Melodias do Exodus? Não se sabe. Já a Claudinha era mais novinha. Cinturinha fina, chiquetosa. Classe.Ele não. Gordo e careca e com vinte e dois na barrigona. Ela com vintão, não usava óculos. Tá certo.

"Por que você não quer me beijar?" pergunta ela, sábadão, quatro da tarde, tédio e calor grindcore na roça. Júnior dá de ombros. Com garra, fúria, energia, coloca as duas mãos nos bolsos. Ela quer gozar. Precisa. Ela quer sonhar e superar cada sonho com outro mais legal. É. Quer pirar com bilau e grana. Júnior não retira as mãos dos bolsos. Bermudão tecktel gringo, rapá. Preto sisudão. "Me beija, Júnior". "Não, Cecília". Ela coloca as pequeninas mãos em volta da cinturinha e vira o Max de sutiã: "Cecília?????". "CE-CÍ-LIA?" Ele pensou na caloi Ceci azul da irmã, old school pra caralho - e sorriu levinho, cínico pra caralho. "Tô brincando, baby". Deram as mãos. Destino: sorveteria Pagos. O beijo rolou na xaninha dela, minutos depois. Ela não gozou. Terminaram a transa. O namoro virou fumaça.

No dia seguinte, ela precisava prestar contas. Puxou a mãe e listou idéias, riffs, velhos sentimentos, gestos e atos. Acabaram se beijando na cozinha. Na boca? Sim. A mãe era uma espécie de Cláudia Raia com cérebro de cajú. Súbito, Júnior aparece. Aproveitou a porta aberta pra pegar a ceroula da noite passada,e vendo a cena... acabou que brincou com o cacete e enrabou as duas. Ele gozou fera e eufórico roubou um disco do Gentle Giant da mãe da pequena. Ex-sogra também é negócio.

O ódio da Claudinha aumentou nervosão. Soube depois que Júnior trocou o vinil por um fardinho de Bavaria com o Biluca, banger desdentado da rua Malaquias Fênix. Claudinha entrou na sala dando voadora. Com contagiante serenidade, Júnior desviava dos golpes. "Eu saio com sua mãe sim e apesar dela ter mais bafo que você, tem um suíngão fodido". Claudinha torcia as mãos, torcia as mãos. Começou a chorar, de um jeito miojinho, petitico. Júnior não teve dúvida: enfiou as duas mãos no bolso da calça de moletom cinza claro.

quarta-feira, outubro 21, 2009

BACANA NEWS - versão Champions League



Agora pouco vi o segundo tempo de Milan e Real Madrid. Tava torcendo pro Milan. Quando comecei a ver a birosca, tava um a zero pro time dos backstreet boys. Botava uma fé que o Milan ia virar. Tava torcendo pro Leonardo, um cara decente, que fez muito pelo São Paulo e deu uma cotovelada hardcore numa americano imbecil na casa deles, no dia Inadimplência deles. Tá certo. Próximo parágrafo.

Sei que o Real tomou o empate num balaço do Pirlo. Meu tio, que assistia o jogo desde o início, tinha me dito que o Dida tinha tomado um pirulaço no gol do Real - e pra mim o Casillas vacilou no gol também. Mas firmeza. Na sequência, Zambrota quase meteu o segundo. ÚÚÚÚ!! E o Neto na BAND falando um monte de bosta engraçada, como sempre. Chama não sei quem de babaca, disse que o Dunga tinha que convocar o Ronaldinho Gaúcho (que jogou bem, mas não fez mais do que a obrigação, tá devendo jogo faz uma cara) e - que o Datena perdeu a aposta e ia pagar uma peixe pra ele. Tá certo.

E vai o Milan sufocando as meninas, em pleno Santiago Bernabeu. Aí o Casillas pensou que podia imitar 1% do Rogério Ceni. Resultado: saiu do gol feito um estúpido e a bola sobrou limpa pro Pato virar o placar (quase que erra o filho da puta, hehe).

E o que dizer da atuação do Kaká jogando sem a Cristina Aguilera? Parece o Júnior (aquele) tendanto ser homem tocando bateria. Incrível. Imagina se ele joga sem o salmos então... Kaká, qué qué correr bem com ela, mas falta yakult, falta alguma coisa. Uma hora não soube nem proteger a bola. Que feio Kaká, assim papai do céu castiga. Aopa. Pena que o Milan se fodeu um pouco depois: num escanteio cobrado por Raúl, Drehte empatou. Dida de novo parecia que estava tomando gol no recreio da terceira série. Uns podem dizer que a visão estava nublada, que pegaram ele no contra pé, que o futsal é complicado,etc. Pra mim ele falhou: o malucão meteu um chute mó bicheira e faturou. Beleza. E eu torcendo pro Milan. Vamo ae, porra.

Aconteceu então um lance absurdo: numa cobrança de escanteio,Casillas trombou com o zagueiro, o Milan fez o terceiro e o juiz anulou. Início de confusão. Tretinha. Puxa-puxa de cabelinho. Tabefinho e nomes feios. Juiz buceta.

Esqueci de comentar que o Casillas fez uma puta defesaça com o pé direito, num chute do Pato à queima roupa. Mas, o futebol, meu amigo, o futebol... Seedorf, Seedorf! está com ela dominada, na entrada na área. O que ele faz? Se afoba, feito um analfabeto da bola, um zé faísca jacu? Não. Seedorf faz mágica. Com um totó milimétrico, milanmetric - uma levantada magistral na gorducha - um gole de whisky feito pro Marreco matar sem ela cair. Gol do Pato. Foi seguro no lance. Curti o rolê. E de primeira né, na casa do time mais bobóca do mundo - porra, e da pequena área é apelação; fuzilou, fulminante. 3 a 2. Replay. Apita o juizinho. Vibração à milanesa. O time do Milan me parece bem unido e sem frescura, e o Leonardo é um cara decente. Bom, eu já disse isso.Por isso, o eventual trocadilho contido na foto abaixo, é acidental.

ENSAIÃO DO GARRAFA


Junkies all around you,
junkies everywhere.
Junkies on the corner,
Junkies in your head.

Look around fast enough,
you might see one in you.
Look around fast enough ..

Up with all the madness,
but we do it automatic.
With the bullhsit that they taught you,
it's a wonder how you got through it

terça-feira, outubro 20, 2009

GARRAFA VAZIA NA ESTAÇÃO FERROVIÁRIA




E o Garrafa Vazia vai rolar seu punk rock demente na saudosa Estação Ferroviária de Rio Claro,é claro. E no domingão agora, dia 25, com entrada franca e pá pá pá. Onde mesmo? Na antiga Estação. Crasse. O som começa às 14 horas e terá as seguintes bandas:

O Cheiro do Ralo
Garrafa Vazia
All Tempo
Entre Parentes
Militons


É isso ae. Aopa. Conto com a presença de vocês, a cachaça é por minha conta. Grande abraço.



GARRAFA VAZIA NA ESTAÇÃO FERROVIÁRIA DE RIO CLARO, DIA 25 DE OUTUBRO. DOMINGÃO FODIDO. É NÓIS.


segunda-feira, outubro 19, 2009

é bom que se diga


Era uma noite de verão simples. Humilde, como o brinde entre a saudade e o adeus. Era uma noite boa para a cidade. Estava eu encostado no bar da estação, empunhava meu copo americano. Rua 1. Estação Ferroviária. Memórias reluzindo em ziguezagues não-assustados. A raiva havia saído para um demorado piquenique no Horto Florestal.

O Braquiara, atrás do balcão, ouvia cansado as mesmas histórias. Era um bom ouvinte. Braquiara: puta sujeito gente fina, Dave Grohl de Rio Claro, caboclo verdadeiramente parceiro, armado em coração sambarilóvi. Lembro-me de altos porres que - bom, vamos mudar de sinuca.

Eu bebia meio ogro, meio angustiado. Sabia que ela ainda me amava. Mas eu precisava mudar algo no meu jeito, meu impulsos - não sei. Mas será que precisaria mudar mesmo? Porque eu mudei. Eu mudo muito. Faz tempo que não podemos viver um sem o outro.Priscyla, eu te amo.


Minhas orelhas, reluzentes de pinga, então, pararam. Houve tiros. Confusão generalizada pelos arredores, o caos vestiu o paletó do rubor. Interminável gritaria que castiga qualquer céu. Vozes agudas do medo, aqui, aqui, ali. Policiais achando-se valentes e estúpidos. Traficantes, tais quais nefandas sombras armadas - guilhotinas incansáveis, disparando a própria fragilidade. Levantei-me. Bem devagar. Matei o conhaque. Paguei a conta. Sequer lembraria-me do desfecho daquela alvorada.

Chuvinha fina, final de tarde arrastando melancolia.O quadro está mais pro pessismismo, tá certo, embora a semana tenha muito o que crescer ainda. Como diria aquela velha canção: "Mente positiva/sempre assim/mente positiva".
a última lágrima. ressentimentos, desilusões. tristeza. dor. a última lágrima.

quinta-feira, outubro 15, 2009

VÉU, GRINALDA E A DEFINITIVA CERTEZA

Ela estava indo ao dentista com muita frequência. O marido claro que desconfiava. Esperava o pior. Pensou em pedir uma folguinha no trabalho para o dolorido flagrante. Mas não. Tornava-se apenas mais um homem triste. Nunca tocou no assunto. E a mulher clareando os dentes três vezes por semana. Tinha vezes que Norminha extrapolava: eram visitas todos os dias, inclusos os domingos, é claro.

Então, soluçando em meio a um glorioso pileque com os amigos, Juca desabafa: "estou condenado. tenho câncer no ânus". A mesa parou. Julião, o mais faminto e beberrão, com quase dois metros de altura e malandragem, começou a chorar. De rir. Batia nas costas de Juca com extrema violência. "É sério", cabisbaixo repetia. Ninguém acreditava. E o Julião foi ao banheiro assobiando uma agradável melodia.

Ultramente, uma senhora vida ultrajante. Puta sujeira com o Juca. Bão: começou a rolar a quimioterapia, com muito A-HA e fósforos Víctor. Mó dureza. Norminha de vez em quando aparecia no hospital, bundão reluzente, trazendo um pacote de bolachas. A mãe nunca ligou pra pedir relatório do corno. Juca tinha 36 anos, mas agora seu semblante caído lhe dava a idade da caveira. Torturado,esperava o próprio cadáver. Começou a perder a audição. Já não podia ler nem a sessão de classificados. E sabia que Norminha estaria de quatro sempre para o Carvalhinho, o dentista fanfarrão. Julião, por sua vez, tinha o bilau chupado. Norminha voraz. Depois revezavam. Aids em Norminha. Câncer no ânus do Juca.

"QUE TAL?"






domingo, outubro 11, 2009


são 650 bostanges aqui no plogue. aopa. e...
nem fui
no
júpiter
a barca
torceu
pescoço,
infelizmente,
e
vou
amanhã
é
no

Inocentes

em Santa Gertrudes,
é claro.

sábado, outubro 10, 2009

QUEBRANDO TUDO NA CASA DO CARALHO


Vixi. Ontem o negócio foi fodido. Cerva, cachaça, conhaque, vodka, tarco e blues. Acordei bebão e já fui lá pro Frolini, beber água gelada no bebedouro. Esquemão. Ae trinquei a primeira.Agora - vocês sabem contar? - vai rolar a próxima. Uma cerva + outra cerva = sucesso. Ou como diria o Sebastião Casa Grande, soando profético:"SE A BEBIDA É A DOENÇA, A CACHAÇA É O REMÉDIO".

Alguém aí se lembra do Maria do Relento? Tô orvindo. Estávamos em 1995 - conhece o Mário? Pode cre. E agora o esquema será voltar pro Frolini. É que estamos armando uma barca pra cair em São Carlos, Sanca, Santa James. Festival meio indie boqueta, que teve Mudhoney ano passado. Mas é de graça. Você sabe o que é um navio? Manja uma galinha? É completamente diferente.

Aopa, mais um gole. Alegria, já queimei um cdzão coletânea só com sucessos podres e bagaceiras. Então vou indo, será que vai voar alguma lata na cabeça do Júpiter MOÇA? Taí um negócio que não curto. Se for o Carlinhos Brown ae firmeza. Mas com o Melvins já é mancada. Né não? Um grande abraço aos amigos leitores. É nóis.

Ah,ouça como copiar músiquinhas....

...A SUPOSTA "BATIDA MUDERNA", COM A MELODIA INCRÍVEL SURRUPIADA PELO JÚPITER MOÇA

sexta-feira, outubro 09, 2009

FAÇA BREVEMENTE UMA BELA PROSA COM A SEGUINTE EXPRESSÃO: FIM DE SEMANA



E o fim de semana me aguarda. Me espera com o paletó punk do sucesso. Pirando, pirando fácil, de cachaça mineira - o fim de semana me abraça. Eu sou o bêbado mais feliz de Rio Claro. Será que todo mundo que faz o cocô mole na terrinha morre caipira do cu bucetado? Cadê o cheiro de queimado? Cadê, no fogão adaptado, é, o fogão CCE da Tininha? Por falar nisso, cadê o urso de pelúcia doidera do Otávio? Onde tem mais televisão? Montevidéu.

Porra. Fabricaram o sumiço nos velhos parceiros do asfalto podrão. Por onde anda Léo Gonzáles? Nem o Gralak sabe. E o que dizer do Renatão Caixa d’água? Vixi...Mas que é bom escrever sete da matina, viradão, ah, isso é bom pra caralho. Quem precisa dos anos 90? Eu preciso. Quem precisa de farra, moedas de trinta e preguiça? Nóis mais o Tio Tetão. E o Agradável Silva? Ainda pilota o caixa da Veneza. De pólo rosa, clássica. E a calça é branca. Tamos aí. Padaria Veneza: satisfação. E a Caravan foi embora. Não adoeceu, apenas vazou líquida, psicodélica no arco íris pela gripada gelatina pinicou nervosa em poeira saudosista...

Aopa. Quem é? A marmita de Satã. Com picles reforçado, alho, cebola com olho de carne seca, ovo por bosta, sal pra caralho. E pra beber? Suco de cemitério. Saca só! Nem rola. Mas na Avenida Visconde do Rio Claro, ó, porra, ó, que delícia, lá tá cheirando esterco cítrico faz uma década– e a Marli acordou hoje zonzona, de sutiã azul marinho na testa. Just róque e café crust, birita dia e noite, noite e dia- chapando o grobo - noção é teta, é o infernão-maionese ride, encalorzar a roça operando fraude, idéias de dinamite retorcida com ovo cozido em mi farofa – frita fritando o fim de semana começa no Elevador Branco.

quarta-feira, outubro 07, 2009

BACANA NEWS APRESENTA: O RANCHO PERIGOSO

video

A FAMOSA RUA 8 DE RIO CLARO



Amigos, eu não gosto de sucrilhos, ou por outra, não desaprovo nem polvilho. Mas o que aconteceu ontem em frente à casa da Lucinha merece uma reflexão. Explico: ontem, Rio Claro parou, por isso comentarei o pequeno milagre que testemunhei.

Vinha eu caminhando pela rua 8, mão no bolso, pensando em Rock de Subúrbio. Deveria ser umas duas, três da tarde. Olhei à direita, passei pelo do bar do Lazo, que fica logo na esquina. Então uma velhinha apareceu. Cruzou a minha frente. Vestindo uma camiseta vermelha com os dizeres "BÉLGICA" - isto mesmo - a velhinha começou a andar de marcha à ré. Não deu outra: torceu o pé e as canelas enquanto atravessava o seu vale de delírio intransferível. A multidão parou. Os carros subiram nas calçadas. O chargista do jornal Comédia teve uma sinapse. Ciclistas pedalaram todos na vertical, pra depressa travarem seus veículos no céu. Guris trepavam em árvores para espiar. A Lucinha saiu na porta toda-toda; pagou tetinha. E eu estava sóbrio. Fui ajudar a velhinha punk e - ela deu uma cambalhota punk pra trás! Começou a rir em forma de parafuso. Eram trilhões de lágrimas conjuntas, reluzentes, infinitas, numa exibição generosa.

Todos os prédios de Rio Claro tingiram-se de azul-caixa-de-sabão- veludo. A estação ferroviária parecia um pão de ló vista por fora, de tão humilde e companheira. A velhinha, com a idade, perdera todos os cabelos. Mas restava-lhe o moicano. Não podemos esquecer o coturno. Um coturno deslumbrante, segundo o gerente de uma loja de roupas falsificadas da avenida 7.

Tudo bem. Teria realmente a velha realmente torcido o pé? Não sei. Senti um puta cheiro de pólvora. Vi binóculos estendidos nas nuvens, bonés do Chicago Bulls. A velha punk saiu pogando, pogando, uma hemorróida púrpura para todos os intestinos presentes. Houve buzinaço. E a velha punk pogando, babava, a guardinha municipal Josilaine no aguardo. A velha pescoçou 360 graus. Na apagada faixa de PARE, cuspiu tinta fresca. Assim, relampejando vitalidade, ela saiu rolêtando por aí, rua cinco, seis, apoteose - ziguezagueante em sua nada fraca marcha a ré. Ia aos berros chamando a geral de "cínicos, barnabés,paus-de-arara - e pregou a morte nacional. Na sequência, houve chuva.Granizo com glitter. Chuva sem sotaque. A Lucinha quase teve um piripaque: chapinha pré-agônica, fecha a porta no gás Lucinha!

AE não deu outra: andei poucos passos no timming rock de subúrbio e lá estava eu no supermercado Frolini. Comprei duas latas de Lecker, bem quentes. Nove e cinco cents cada uma.

segunda-feira, outubro 05, 2009

BACANA NEWS


No último sábadão, Slash subiu ao palco do Mirage Hotel, & Cassino, em Las Vegas, para tocar ao lado de CID GUERREIRO DE DEUS (ex- CID GUERREIRO). Durante o evento, outra ilustre participação ficou a cargo de COURTNEY LOVE e Zeca Pacotinho, que também deram uma 'palhinha'.

Slash lançará seu disco solo em 2010, e contará com diversos músicos convidados: Zeca Baleiro, Evandro Mesquita, Bon Jovi e Cássia Kiss.

***

Uma das maiores travessuras sobre Frank Zappa refere-se ao suposto lance de que num de seus concertos, ele teria comido cocô sobre o palco. A trip foi tão espalhada mundo afora que Zappa inicia sua autobiografia, The Real Frank Zappa Clarice Lispector Book, falando sobre ela: "Eu nunca comi merda no palco, e o maispróximo que cheguei de comer merda em algum lugar foi atrás da borracharia do Auto Posto Confiante de Araras, na primaveira de 81.



***

Mãe Treta: a cantora de 32 anos do Mamas & Papas morreu depois que um sanduíche de presunto com o qual ela estava brincando em seu flat em Londres a deixou sem ar. O sandubão, marca registrado do Chavinho, ficou entalado em sua garganta, estávamos 1974. O médico legista não encontrou nenhuma evidencia de peperone ou picles na traquéia da fera, ao invés disso concluiu que ela havia morrido porque isso é algo natural e simples.

sexta-feira, outubro 02, 2009

COZINHA


Janjão aproximou-se da porta. As chaves tilintando no bolso da Levi's. No braço esquerdo, a mão esquerda. Segurava firme o litrão de Velho Barreiro. "O JANJÃO DOIDO!" gritou o vizinho. "ONDE QUE VAI COM ESSA" - Janjão fechou a porta.

Toda vizinhança sabia. Todo santo dia, ali pelo meio dia - ou um pouquinho antes de escurecer, o relógio paquerando às seis - Janjão saía: com a criança respirando dentro da sacola do supermercado Frolini, Janjão saía. E o sorrisão grudado no rosto não havia.

Assim que chegou na cozinha, "DANIELA!" - Janjão recua, confuso. Daniela estava de top preto - baixinha, bunduda, loirona e peituda - encostada, relaxada na pia... Acendeu um cigarro. Jogou o fósforo no chão. Janjão acendeu a boca do fogão. Havia água de salsicha, ali. Então Janjão abriu o litrão, sem pressa. Serviu duas doses. Houve o brinde. Houve o acasalamento. Depois, Janjão esfregou com força a cara de Daniela na panela. Havia mais água de salsicha?

ROCK NA ROÇA

O que me empolga numa cidade ananias são as pessoas. A trutagem é o céu da roça, que resiste ao peso dos dias. Caminhar, caminhar n...