sexta-feira, julho 30, 2010


Sexta-feira. Incertezas gravitam em torno de dúvidas. Mas a mesmice não reinará. Há bastante fúria no planeta maionese, tonight.

terça-feira, julho 27, 2010

EDUARDO GALEANO


Comprei ontem "O livro dos abraços", do Eduardo Galeano. Já de cara topo com esse trecho matador (não preciso nem dizer de qual escritor me lembrei ao ler essas linhas!)


Celebração da subjetividade

Eu já estava há um bom tempo escrevendo Memórias do Fogo, e quanto mais escrevia mais fundo ia nas histórias que contava. Começava a ser cada vez mais difícil distinguir o passado do presente: o que tinha sido estava sendo à minha volta, e escrever era minha maneira de bater e abraçar. Supõe-se, porém que os livros de história não são subjetivos.

Comentei isso tudo com José Coronel Urtecho: neste livro que estou escrevendo, pelo avesso e pelo direito, na luz ou na contra-luz, olhando do jeito que for, surgem à primeira vista minhas raivas e meus amores.

E nas margens do rio San Juan, o velho poeta me disse que não se deve dar a menor importância aos fanáticos da objetividade.

- Não se preocupe - me disse. - É assim que deve ser. Os que fazem da objetividade uma religião, mentem. Eles não querem ser objetivos, mentira: querem ser objetos, para salvar-se da dor humana.

RIO CRARO: UM ENSAIO FOTOGRÁFICO (por PEDRO LINGUIÇA)



ROBERTINHO PÉ DE BREQUE E RENATINHA, MENININHA BOA DE CAMA


Robertinho era o típico cara que não via malícia em escovar os dentes mais de quinze vezes ao dia. E curtia mesmo era papel timbrado. Gamou-se na gostosinha da Renatinha. Renatinha, menininha boa de cama.

Revezavam: ela cheirava primeiro, claro, depois ele. Teve uma época foda em que ela cheirava o pênis dele e a cueca, a maior fissura, e ele a cocaína aspirava, se cagando todo. Tinha pêlos louros no naso. Tinha dificuldade imensa de respirar por conta disso. Caso sério.

A Renatinha tava estável no love, relação boa. Mas, vira e mexe, depois da transa, vivia implorando "tatua teu pau, Roberto". E ele, enérgico: "sai pra lá, catiça!". Não queria de jeito manera. "Tatuar meu pau, tá louca?" filosofava ele, comendo uma bacia de amendoim japa.

Final de agosto. Crazy dog disaster.Não deu outra: Renatinha, menininha boa de cama, se enroscou com o Marafon. É. O troglodita calvo e barrigudo. Pelo menos a caranga dele tinha som com mp3, coisa fina. Roberto teve uma intuição lazarenta - quis descer rápido do sobrado - torçeu o pé na escada, cambalhota gostosa, costelinha trauma, fratura, sucesso.

domingo, julho 25, 2010

WALKING ALONE

Mona Mohawk - Winston Smith 1984


Quando recupero meu habitual senso de humor, fico contente. Fico feliz. Felizão. Deixam de habitar minha ilha sináptica esqueletos tagarelas e desagradáveis múmias.

Nesse final de semana passei por diversos momentos à beira da loucura. Extremamente inadequado, não é mesmo, Tininha?

Pois bem, amigos leitores: reprogramei novamente minha mente. As luzes que tanta insanidade repuxavam na alma já se foram - restou agora a vontade de retirar meu baixo da horizontal e colocá-lo em ação. Voltar a escrever contos. Aliás, estou revisando o Promessas Horríveis. Sim, não é lenda não: meu primeiro livro irá pro papel.

Serão poucos contos. Uma pegada meio Discharge, surreal com humor de potão de conserva de batata velha. Acho que meu próximo livro levará o nome de 2014. Não me perguntem o porque.

PINTURA

sábado, julho 24, 2010

O velho. Velho.

O velho. Velho. A visão distante, a visão do poeta - adormecido dentro do seu paletó sem os bolsos da vingança. O cão Grudolf o diz "velho profeta", a Marilice de terço na mão, suspira "espírito divino." E o velho caminha solitário, nuvens o observam em chumbo, "memória na juventude, recordação na velhice". E a consolação será sua cachaça, a recordação seu potente soco de esquerda.

O coração da pequena Júlia era pleno de atenção. Atenciosa, queria ser a melhor das amigas para Ana Rocambole. O pior é que para isso precisou imitar os amigáveis dotes de Cecília.Pergunto: as mulheres descendem das macacas?

Taí, seus esforços fazem crer que sim. São uma sucessão infinita de cópias sem sentido. Ao invés de inventar e procurar rompantes de distinção, o coração da pequena Júlia fora sodomizado pela preguiça. E como se sabe, acabou como cópia pequena, inferior e desagrádavel - de um molde pra lá de desastroso.

sexta-feira, julho 23, 2010

BACANA NEWS



Notícias agradáveis por Jair Bolinho:


Rapaz é esquartejado no Cervezão por gari meliante.

Velharada do truco é baleada na tradicional praça da Cidade Nova.

Barra Forte é o veículo mais vendido neste mês, afirma Clóvis Palitinho, da Viviane Veículos.

Samuca terá ala Black Metal, afirma rainha da batera.

Velo Clube sonha em contratar o craque Gervinho, destaque da Costa do Marfim na última Copa.

Bares de Rio Claro permitem que cigarros seja acesos dentro de suas dependências, mas só Marlboro Light, por enquanto.

DAAE promove rave para sedentos de festas gls.

Prefeitura criará o dia da linguiça, em homenagem ao jornalista Rogerinho.

Estudante formado na USP morre enquanto aumentava créditos na lan house do Alan.

Tininha raspa o bigode e diz que só voltará a cortar a juba no "Sacode a praça".

Bill Murray apresenta stand up comedy no próximo sábado, no Casarão da Cultura.

Festa do Peão terá o ex-prefeito Cláudio de Mauro dançando lambada na abertura.

Lojas Americanas terá versão "importados & caros" no Mãe Preta.

Estréia Titanic no cinema do shopping.

Madalena premiará quem tomar mais energéticos neste sábado.

Unimed de Rio Claro fecha para virar clube de sinuca e aperitivos da maçonaria.

quinta-feira, julho 22, 2010

tragedy. desespero. nuca de boi. alface gringo na controvérsio via sms. ruge a velha vaca voadora. Venezuela on fire. laranja falante. trigo disfarçado de Zaratrusta. galão de querosene dançando valsa. viaduto verde no meu fígado recém envenenado de sobriedade. louca Albertina dá luz ao menino Oséas. figo ferro fedido no sangue ferido. novo lampejo: ele descobriu que vive morto. ao nascer do dia, ao nascer do fogo, o céu virou uma almofada de dúvidas. vou pro colchão viver de sonhos tão extensos como o alfinete que sabe não existir. o semáforo da vida sem os números.

ensaio da loucura


náusea. tremor. tontura. tédio? não. pânico. azia? não. ânsia de vômito. vômito desgraçado. paraestesia turbo. sei que melhorarei rápido. é apenas um ensaio da loucura. só isso. sairei forte, revigorado. mais uma vez sairei ileso.

B.O NO CAMPEONATO BRASILEIRO

Retirado de algum site aí:


Agressão
Após a discussão, a comissão técnica e jogadores do Goiás tiraram Leão do local, mas Rafael Moura correu atrás do radialista e o atingiu com um soco na boca. De acordo com Santos, os jogadores Romerito e Marcão também teriam lhe agredido com chutes.

Como resultado da agressão, o radialista ficou com quatro dentes comprometidos. “Hoje passei no dentista, estou com quatro dentes defeituosos, vou ter que fazer canal ou até mesmo remoção”, lamentou.

terça-feira, julho 20, 2010


Amigo de cú é rola. Dia do miguinho! Que hipocrisa barata. Como se também hipocrisia merecesse troféu: hipocrisia master, hipocrisia superação, hipocrisia progresso. O certo é que continuo correndo meio irracional, no meio dos meus pés crescem outros labirintos neopsicóticos - e respiro, sigo soturno, às vezes reverbero claro, outras vezes escarro sujo. Vai ser que é essa mania minha em ser sujo, não sei se obtuso até a orelha explodir, vou voando atrás da Caravan Sabbathica! Confundindo os freios dentro do confuso, alô, você esqueceu sua calcinha preta aqui. Não sou você. Nem sou poço também, nem ao menos vitrine da Marabrás. Escolho morrer pra mais tarde, enquanto a lua engole a mulher do lobisomem. Entre ficar na vida e beber a ressaca da morte, vidas virão e se meus olhos tijoladas de sangue comprovam - na nuca da desgraça o mundo se caga. Ergo-me para o caos, é final de julho, nove cachoeiras invisíveis de combustível novo meu riso velho redescobre.

domingo, julho 18, 2010


e meu humor varia. varia muito. demais. tem hora que penso estar louco. a luz parte pra agressão. qualquer luz torna-se lixo. e determinado tipo de lixo desastroso. me perco. acho que não voltarei. tortura. mas uma boa melodia, três acordes com punch me trazem de volta. ainda bem. vou dar muito trabáio, sim senhô. o punk nunca vai morrer!

sexta-feira, julho 16, 2010

MAIS ENSAIO, MAIS PUNK ROCK

Mais uma noite de ensaio do Garrafa. Música novas no set list. Passamos também Cólera, Exploited, entre outros. E no começo de agosto gravaremos três sons - é a segunda demo do Garrafa na área. Aoopa.

terça-feira, julho 13, 2010

DISCHARGE "1977 DEMO"

Tracklist:

1] I Don't Care
2] Sweet Suburban Dreams
3] Living In The City
4] Acne
5] I Love Dead Babies
6] Pigs
7] Under My Feet
8] No Time For Romance
9] There's No Future USA
10] Acne
11] Pigs
12] Do Or Die
13] Pause



sábado, julho 10, 2010


E hoje de novo veio a maldita sensação de morbidez absoluta. Mas agora passou. Às vezes dou algumas pescadas, me perco. Antes estar lento do que acelerado. Pra falar a verdade, não estou lento: tô tranquilãozaço, de boa, numa nice 77 - esperando o showzão amanhã do Garrafa. É nóis.

sexta-feira, julho 09, 2010

nº 57


Quem me conhece sabe que sou uma pessoa de extrema ansiedade pulsante. "Porra Mariones, vai com calma". Tudo é rigorosamente compulsivo no meu ringue, às vezes. Sometimes. Mas Naridrin, nunca mais. Não sei porque, mas Naridrin, a palavra, refaz o trajeto de Rivotril.Naridrin tem Efedrina estacionada na garagem. Foda-se.

Mas às vezes ensaio o enlouquecimento precoce. E ameaço pilotar a lua, ando freneticamente. De um lado pro outro, entre o azar e a depressão, exerço o obscuro. Jogo futebol de botão com a Tensão Taquicardíaca Mental, avanço pela ala dos desolados. O cérebro me trai, sempre. Jogo duro. Não tem fim essa merda de bad trip. Experimento náusea, cardápio embaçado para meus olhos, luzes me incendeiam para o abismo. Toda luz me agride e provoca tortura. E agrido meu organismo com paranóias, hipocondríaco me perco. Tremor. Tremores nas mãos. Suar as palma das mãos é o refrão. Vai se foder.

Então uma hora cessa a encanação. Novamente estou vivo. Experimento um sorriso. Aopa. "Não morri mesmo" - verifico. Novamente posso peidar ao ar livre e dizer que acho uma bosta Elis Regina. Sobe uma euforia. A ânsia vai embora. Ânsia, ansiedade, anota aí, Arnaldo Antunes. Arnaldos idiotas: César Coelho, Jabor. Jabor escreve assim: "ah, o amor, essa raposa". Dá um tempo. Vai tomar no cu.

Assim, a morte ainda insiste em não amadurecer no pobre coração do Lemão ex-cachaça. É isso ae macacada, taí a dica de som pra sábadão: "Little Boys in Blue", do Professionals. Abraço miojo pros trutas e beijos nas insinuantes ninfetas de Cordeirópolis. AOOPA.

quarta-feira, julho 07, 2010

OS GARRAFA VAZIA

Ensaio nessa terça-feira. Ontem ensaiamos também, e os sons tão soando cada vez com mais punch. Tá bão o esquema. Lembrando que domingão tem Arararaquara Rock! Garrafa Vazia, Cólera, Biohazard e outras bandas. Tocaremos 18:30. É isso aí. Punk 77 da roça com tempero hardcore punk dus inferno.

segunda-feira, julho 05, 2010

Está inventada a revista CASSETADA.No primeiro fascículo (ui!) podemos encontrar uma caminhonete parada em frente ao hamburgueiro da Ápia. Cena típica rioclarense.É final da noite de domingo. O queixada que dirige a caminhonete buzina pedindo catchup.Ele fala "ae, me vê catchup" e humilha o hamburgueiro, dizendo que pediu quatro lanches e buzinou várias vezes. O lancheiro fica vermelho.

Ninguém agride o mané. Não há mais ninguém na rua. A avenida da Saudade acompanha irrequieta mais um fim de semana bem merda.

***
O ataque em Pearl Harbor, na ilha de Oahu, Havaí, foi executado sem prévio aviso contra os EUA. Na TNT, dublado, acabou de acabar

sexta-feira, julho 02, 2010

ISSO DAÍ JÁ FOI COPA DO MUNDO, TININHA






Dunga. Dunga. Dunga. Fiascopa, como diria meu cunhado. Dunga. Dunga. Loser. Loser. Bostão. Ué, cadê o Ganso? Até o Pato resolvia. Que covardia. Brasil nunca será Brasil enquanto Ricardo Teixeira limpa o cu com a ingenuidade do povo. Dunga tem resultado. Eu quero futebol.

Mula. Anta. Burro. Dunga. Dunga. Dunga. Lista
de convocação? Funcionários da CBF? Haha...Dunga. Dunga. Dunga. Dá-lhe Argentina.

***
E Gana? "Tadinhos". Gyan pisou no tomate. Perdeu. Podia ser artilheiro, bolinar a Shakira. Ô Gyan, o Edmundo que matou dois falou que tu era matador... É, ao vivo! Na Band. Junto com o babaca do Théo José narrando como se fosse uma bela corrida de kart pilotados por hienas. O Gyan vai ver achou que era football. Que beleza, como diria o "piscador" Milton Leite.Chutou no travecão da Avenida Rio Claro. Lamentável. E o artilheirinho Suárez, que meteu a mão na bola? Tava jogando peteca. Último minuto da prorrogação, garotinho. Não pode. Levou pito do juiz. Vermelhão. Do chororô foi pro cocaine mode. Supimpa - né não, Tininha?

Disputa de penâltis. Forlán, camisa 10. Dirige-se tranquilo para a marca da cal. Segura a bola com uma mão só, feito o David Robinson, ex-pivô do San Antonio Spurs. Três passos e aquela cobrança praiana: goleiro do lado, bola do outro. E bole que bole. Gana perde uma, o Uruguai outra... (o zagueirão jogou a bola lá no Galápagos). Gana perde mais uma vez. O Uruguai está na semifinal!

***
Aopa, é isso ae, macacada. Melou. Melou. Fernado Collor de Melo é a puta. A putinha? Felipe Melo.

quinta-feira, julho 01, 2010

#57



Quando Celsinho começou a bolinar Emília, todo o colégio já sabia que ia dar nisso: o baby. E de fato nasceu: monstrengão. Não chorava, grunhia. Tinha pus no pipi, ao invés de xixi. Das suas orelhas nascia e crescia sangue. Seus peidos eram bonitos para morrer de asco. Celsinho não aguentou o baque, tomou litros de veneno venezuelano. Emília virou putinha de bairro. E o bebê foi entregue para uma crechê emo, que depois virou uma padaria, hospital e faculdade de direito. A criança ficou mansinha e sabe falar francês. Tem agora porra no pipi, ao invés de pus. Engravidou Samara, que é crente e adora dar o cu.

ROCK NA ROÇA

O que me empolga numa cidade ananias são as pessoas. A trutagem é o céu da roça, que resiste ao peso dos dias. Caminhar, caminhar n...