quarta-feira, fevereiro 23, 2011

VÍNCULOS/A BARRIGA PORNÔ


vínculos. taí: vínculos. copo americanão fervilhando Sprite. mas de repente o vínculo se apaga. antes reclinadão na poltrona, a amizade vaza. o vínculo se apaga. vínculos dissolvidos, é o muro que renasce no planeta maionese.

***
tava com a patroa na rodoca do Tietê. esperando o foguete pra Rio Craro. (agora estou escutando Canibal Family do Muzzarelas, sonzera). Do nada surge um casálinho morfético de se ver. Cada peça aparentava uns quarenta e lá vai pilvada. Ela, cara de Lurdinha. Cabelo tosadin vale a pena ver de novo maça do amor - neutrona na atmosfera. Neutrona? Nem se soltasse aquela bufa monstra de enxofre cósmico atrairia olhares e nasos.

Ele não.


Era o indecente. escrotóide RASTEJAVA, acordado, de pé. Vestia, trajava? Ia trajando, não trotava, ia trajando da cintura pra cima meia-regata-branca. porque meia? por que a outra metade se apoiava na rampa circular. D gigante perfilado. o umbigo enchia aquela melancia peluda bizarra? porra, era a barriga pornô. cena indecente, chefia. não havia constragimento por parte da mulher (a Lurdinha devia chutar a pança quando errava os números essencias da Tela Sena).

Devia ser proibido, ninguém é obrigado, nenhum olhar seletivo bastará, Medusa é fichinha.


Então o casal manobrou para o invisível: a barriga pornô liderava a cena. Amenidades brutalmente dilaceradas ao olhos do mundo.



terça-feira, fevereiro 22, 2011


Depois dum fim de semana ultrapunksambarilóvi com a patroa no ABC, tôdvórta. 
Aopa.
Vortei pra azucrinar quem ouve "Coma Girl" e não diz ao garçom da folia que esta cancion traz um clima de Passat velho cheirando mijo de gato (na amizade), climão de garagem da vovó numas back to malandróvisky infância. Com aquela melancolia legal de final de domingão, sem responsa nas costas, só preocupado em falar merda na aula de Matemática e esperar um novo modelo de estilingue ser rifado via céu azulzão caixa de sabão em pó.

Desses finais de semana que fazem um zumzumzum espoleta na alma, sacumé? Bão demais. Ao lado de mi vida também, é covardia... Qualquer drible de pelada vira drible de Garrincha no Maraca, casa cheia. (Alma guardando 1 minuto de silêncio azulzão caixa amor pós 77)

E a semana começou tranquilona. Tô pondo em ordem lances do trampo, correrias da banda - só falta colocar nos trinks meus escritos. Mas o tempo é meu camarada chapa quente. É, chefia. (...)

Agora vou pra lençóis, não sem antes terminar umas boas leituras. Grande abraço aos amigos leitores.

(E a porra da terça-feira chegou sim, e num peidinho agradável esculpindo no ar formou-se para todos, não, não era em forma de Doritos, mas todos leram: rotina. )


quinta-feira, fevereiro 17, 2011

GARRAFA VAZIA na Mp3's Industry Boycott #04

NOTÍCIAS

Mp3's Industry Boycott #04 - First Listen Hoje Na DoomboX

por Wladimyr Cruz, em 11/02/2011 (Sexta-feira), 04:12
Para o lançamento do quarto volume da nossa coletânea "MP3's Industry Boycott" vai rolar hoje um first listen da coletânea na loja DoomboX. Esse mês, junto com o cd você leva uma matriz de stencil pra deixar uma marca pela cidade. O cd também estará a venda na nossa lojinha nos shows da (Z)Panorama que rolam nesse final de semana, e logo estará a venda em nossa loja virtual. Comprando o cd por lá você paga somente a postagem. Nos eventos organizados pelo ZonaPunk, o cd está a venda no mesmo esquema de antes de 'pague quanto quiser'.

Não sabe o que é a "MP3's Industry Boycott"? Leia aqui.

Para participar dos próximos CDs, envie o MySpace da sua banda para mp3@zonapunk.com.br, as que acharmos mais legais vamos dar um reply pedindo a mp3. Se você já mandou, fique atento no seu email, pois sua banda pode ser selecionada para as próximas coletâneas. What are you doin’ to participate?

Tracklist do cd #4:

1. Fast - Velhos Amigos
2. Hurry Up - Até Logo
3. Skamaradas Trio - John Wayne
4. Overlap - Futuro
5. ALVA - Desista
6. Garrafa Vazia - Burro pra Caralho
7. Kopos Sujus - Na Mão do Palhaço
8. The Barfly Surfers - Tristessa
9. The Fung-Ku's - Hawaii, Beach And So On...
10. Insônia Hits - Retrô

quarta-feira, fevereiro 16, 2011

BARRIGÓVISKY: TRETA OU PRENHEZ DESNECESSÁRIA?

Aoopa. Tudo bão macacada? Por aqui sim. Nos trínquis. A única mancada é minha pança que cresceu - tá rolando um barrigósvisky invocado. Buchão das trevas. Pois é. Mas nem pega nada. 
De repente as camisetas parecem amargas. Há o incômodo, a barriga quer ultrapassar o tecido. Meu amigo Zanzibar disse que conheceu um nego tão barrigudo que a camisa tinha que ser um lençol e lhe caía tal qual que ele acabava por parecer um toldo ambulante. Terrível.
E sabe como é né, meu chapa - a tendência é piorar. Piora gradativa, catastrófica. Calamidade é ter essa barriga mal-apessoada. As pessoas que antes achavam você um sujeito simpático agora vão lhe reputar agora como saliência. 

Tá passando agora no Cartoon Network episódio do Chapolim que nunca assisti. Numa mesa o Chapatim e o Ramon Valdez, que diz ao velhinho: ""percebe-se que você é uma pessoa decente. de centenas de anos. aposto que corria nas olimpíadas era cronometrado com relógio de areia."

Eu ri bastante, descamisado, inclusive. Contei pro meu pai, que acabou de chegar em casa, a piada. E a barriga sorriu novamente, gloriosa.

terça-feira, fevereiro 08, 2011

II PUNK DESTROYER: AOOPA!






É, chefia. O II PUNK DESTROYER manteve a tradição: dia 6 de fevereiro entrou pra história da terrinha. Punks dasantiga, novelhos, não-punks, cachaceiros, agradáveis almas, ilustres desconhecidos, anônimos desastrosos, tava todo mundo lá. eEra a vitrola dionisíaca-maionese do punk rock do interior voltando a ferver, nos trinks - com toda a atitude e união que sempre teve - porra, tava todo mundo lá, parceirão, parceirona, vem comigo que eu vou contar de forma incompréta, porém sincera na medida do bão propósitis. 


Nada de impulsos bestas da vida cotidiana, num namorico novelesco de palavrório subgrotesco. NÃO. O pum frenético de circustâncias trouxas cedeu espaço aos elementos discordantes, a confusão de miríades agressivos - uma  chegação boa praça de deleite permanente, meu chapa. PUNK DESTROYER II, 6 DE FEVEREIRO DE 2011.

A primeira banda foi o Garrafa Vazia. Com Gnominho de volta na batera, tocamos repertório das nossas três primeiras demos mais 1 cover - Buracos Suburbanos. Abrimos o II PD com Aracy com Y é bem mais legal. Na sequência Carol Caraia, Cirrose. E os sons pegando, o pessoal cantando, pogando..foi ducaralho, todo mundo agitando e curtindo, numa nice - ae rola uma treta na roda - infelizmente - que merda. Mas tá tudo certo.  Todo mundo numas de despreocupação mora logo ali. Trincou, chefia? Aoopa.


Os Patetas, de Piracicaba, entram na sequência, quebrando tudo com I Wanna Be Your Dog. Tocando as faixas da primeira demo que logo logo sai do forno, Os Patetas mandaram bem. Na responsa. Mó sintonia em cima do palco. "Lutamos pelo justo", diz Bode, vocalista. 


Com discurso afiado contra homofobia e jogando na chapa uma postura anárquica no esquemão curtição ultrapunksambarilóvi vamos engolir o quarteirão, a banda vem evoluindo a cada show - com instrumental bem coeso, decidido: na guitarra, a voz de Break Zumbi; o baixo carismático de Porquera e as baquetadas nervosas do batera Punk -mais o vocal de Bode e é plá e combate punk. Tá certo. E no meio da dançante "Barata Zumbi", rolou a segunda encrenca do rolê. Empurra-empurra. Alguns sopapos e zumzumzum? Não, não. Tudo se acertou. Paz no expediente. Aoopa. Acontece.

Tava bão demais o rolê. Até o Seu Madruga deu as caras, tomando uma Corote no balcão, todo-todo. É. Bão...Tirando um ou outro incidente, o que se viu foi um amontoado de gente finisse. Nada de comedimento fajuto. Tapinha nas costas morreu de Belmont. É, as vidraças do tédio sofreram forte abalo na roça - o bonde da foliabilly-punk-decision prevaleceu no dia 6 de fevereiro de 2011. Honestidade memorável tumultuando o pulmão da rua 2.




E pra encerrar, As Bernardetes, punk rock feminista de Limeira. Discurso inframádo, letras de forte cunho social. Punk feminista extremista, carregando protesto e revolta  em letras sobre o cotidiano - segundo elas mesmo falaram. O nome da banda vem da Rua Capitão Bernardes, rua famosa por ter como frequentadoras profissionais do sexo.


Noite de estréia: sons curtos, carregando personalidade, geralmente com menos de 1 minuto. Postura agressiva, berreiro com cachaça e sol fritando na moringa. Abriram com "Ratos", com menos de um minuto. Originalidade, protesto, gritos agudos numa microfonia vocal absurdis, barulheira de prima. Aoopa. É isso aí macacada, tamos juntos!



Infelizmente, o Mau Olhado acabou não podendo comparecer, por um desses imprevistos desagradáveis que a vida nos prega. Mas estamos aí: o mau humor também não rolou, nem como sonâmbulo. Fica pra próxima Sid e Slash, o convite pro Punk Destroyer III está aqui! Caleu a presença de todos, obrigado pessoal! Enquanto a gente envelhece, uma pá de estrelas caducam junto, sem imponência, só na humirdade - com GBH no subconsciente, revelando o processo de "a garantia soy yo", sem frescura. Aoopa.E A próxima edição é agora em março, provavelmente no dia 20!!! É o punk da roça estralando, fuzilando o instante!!!

(Lembrando que tão no esquemão as gravações de "PUNK DO MATO - O PUNK DA ROÇA", documentário de rancho, coisa fina, os causos do punk do sítio vem aí, chefia!!!!)

AOOOPA!!



































Valeu pessoal - pra todos que pegaram busão, trincaram uma carona esperta, pegaram a moto e curtiram uma brizola diferenciada, a todos que vieram de triciclo, motoneta turbinada e mandaram o patrão se fuder, mandaram o pastor passear de cócoras, aos que vieram assobiando um Clash ou não, pra todos que tiveram um domingão agradável trazendo ao mundo uma segundona com ressaca sunrise no cardápio,  viva nóis! AOOPA!!

(vou postando no youtube os vídeos das bandas aos poucos, o material interessante da loucura tá no alarme de urgência, fiquem fráuns. ávido combustível. porção de fritas no paraíso incendiado. admiração pela falta de padrões, patrões, padrastos, carrascos. um brinde ao mundo os bolinhos de arroz são pleno sonho acordado. resistência, existência, sanduíche da comprexidade, nada de mesquinho ciúme, só paixões 77 em acordes beldóviksys - mi vida, amo você.)

domingo, fevereiro 06, 2011

II PUNK DESTROYER

SÁS Zóra da madruga, tá todo mundo chacolhadão, arrotando sem frescura, falando merda no celular...Larica, cartão que não passa no motel, tem putinha fervendo no Madalena, tem neguinho urubuzando orkut alheio, vasculhando facebook de ex-paquera (paquera, alguém ainda usa essa "geringonça?), twittando que tá com soninho e que amanhã será um dia tedioso. É.

Tédio o caralho. Amanhã é só colar no D'Vinci (rua 2 entre avenidas 5 e 7) que o bagulho vai ficar louco. Punk rock do bão chefia. Punk rock do capeta. Aooopa. Que horas? 17 horas. Quanto morre? Cinco pila? Quem toca?

Mau Olhado (punk/hardcore de Araras, o batera é o Slash, gente finíssima, se você for, pague uma cerva pra ele que ele merece. E o baixista é o Sid, outro parceirão)

Os Patetas (prestes a gravar sua primeira demo, os punk de Piracicaba mandam uma barulhada responsa, com direito a cover do Stooges)

As Bernardetes (banda feminista crasse, de Limeira)

Os Garrafa - com a volta do Gnomo na batera -> AOOOPA!!


É nóis, chefia!

quarta-feira, fevereiro 02, 2011

Essa melancolia...
De tão filha da puta, arranca minha prontidão mais sagrada
Essa melancolia azeda
De tão irritante, cria muros, prisões, travas na alma.
Essa melancolia imbecil, 
que corrói o cinema abstrato-maionese,
de tantos sorrisos
de tantas falas empolgadas
de tantas novas amizades com os descaminhos
do éter
do instante 77
Maldita melancolia
que 
emudece
a noite.

Eu espero acordes que não desistam de cocainar meu dia, mesmo quando já nasceu morto. Espero notas que não apliquem a tortura do t...