Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Março, 2011
Alguns adolescentes da cidade de Rio Claro afirmam:  pó é melhor, porque maconha dá sono e fome.

ainda farei a música do leitor ingênuo

Cadê minha Courier New? Sacanagem.
Sabe, escrever orvindo música é o que me faltava.
Porque será que esqueço disso? Que merda.
Hoje, falando com minha amada, relembrei a questão do universo de contos-maionese deixada pra trás. Isso não ficará assim.
E não falo da boca pra fora: no próximo post, vocês terão pequenica ideia do vem por aí. 
Até eu tô duvidando, mas é verdade.
Té mais, seus cu sujo. E pra quem fica, abraço de longe. Só quero abraçar a Anita Sandroni. Pra sempre.
Aquele sono desgraçado. E não vou dormir quase nada, alguns poucos minutos só. Os ouvidos fritos. De tanto punk rock durante a sexta.E amanhã tem mais. Abração pessoár.

JORACY FRANDANGOS

Eu digo amigos, e afirmo com classe: Joracy Frandangos é bão de lascar. Bão o quê? Bão escritor, porra.



Saca só gentileza: a escrita do caboclo chamou minha atenção de prima. Ao lê-lo, surge a pintura ogra  duma figura alta, enfiada desajeitadamente num terno fuleiro, cinza. De punhos nus, e o fígado todo 147, cinzão, Joracy Frandangos odeia professores recém formados de Educação Física.

De olhar desorientadão, olhando  torto prum relógio de ponteiro pendurado na cozinha, refaz sua vida. Talvez como quem come cebolas fritas pra cagar bem gostoso. 


Descontínuo e erráticao (como eu gosto) sua escrita anormalesca é como um pinto na buceta da depressão nervosa.

Paro estas linhas. Sei que o leitor está zangado. Que porra é essa? - o Mariones fala, fala, fala - adjetiva no obssesso-compulsivo A3  e não diz bosta nenhuma. Tá certo.

Continuo. Continuo. E olhando torto: prum ponteiro de relógio. Estou plenamento satisfeito. Chego a roncar. Em pé. Na cozinha. Sabe quando você está no chuveiro, abaix…

BONIFÁCIO EM CHAMAS: RESENHA NO BOLA DE FOGO DISTRO.

e o camarada Pira fez uma resenha fodida pro rolê "Bonifácio em Chamas". Aconteceu nesse sábadão que foi. No blog, do qual faço parte (e preciso postar linhas sobre o rolê do 3º PUNK DESTROYER), você pode acompanhar, com fotos e plá e plá, tudo o que pegou na quarta edição do festival.
De quebra, entrar por dentro do conceita da Bola de Fogo Distro. Aoopa!
É só cricar e conferir: http://bdfdistro.blogspot.com/

SPAZZ, CHUVINHA DESASTROSA E AMOR

Previsões para o final de semana: o amigo Alain Melendez coloca açúcar no café. Em seguida, mexe a colherzinha. Simpres assim, chefia. E comenta: igual o meu amigo (esqueci o nome do sujeito) diz:  “uma boa sexta-feira, com muito nervoso!" Pois é. Chuvinha brochante, cinema iraniano vem aí.
Noto que homem de boné é mané. E de bermuda brololó, bocó? De manhã estava frio, disse alguém ao meu lado. Engraçado que ouço vozes paulatinamente (que palavra Portuguesa de Desportos essa última!). E as vozes numas de trocação de idéia contínua. É engraçado. Noto que ninguém mais existe, só os papéis.
E o porteiro e amigo Tonhão é gente boa, deve ser um papel A3 de alma ultrapunksambarilóvi. Humilde, brincalhão. Sempre promove enquetes “Caetano Veloso ou Chico Buarque?”. Caso eu deixe de cumprimentá-lo por alguma distração, ele “abaixa minha nota”. Só que atualmente ando ligado Tonhão. Minha nota tá nos trinks. Aooopa.
E o Gregório de Matos? Estava na esquina do veneno? Boca maldita? Prefiro o G…
Faz tempinho já. Que não escrevo por aqui. Que não digo o que ando lendo. Se vou não no Sebo do Edson, comprar livros aqui e ali. O que ando pensando sobre o mundo. Enfim, é isso aí, preciso escrever mais por aqui.  Mas antes de tudo, eu sou aquilo que me move: Anita Sandroni, eu amo você.

PUNK DESTROYER 3 !!!

Correção: Cirrose Cerebral de SP no III Punk Destroyer. Esse rolê promete! Tocaremos novos sons! Aliás chefia, tocaremos com a nova formação!

MUDANÇAS

Mudanças. Taí: mudanças. Saída de Gnomo do Garrafa Vazia. Tá certo: o cara já estava ausente fazia uma cota. Afinal, de quatro pedradas que gravamos (quatro demos) ele esteve presente em apenas uma. 


Gnomo gravou a segunda: "Aracy com Y é bem mais legal". Por uma série de motivos lazarentos, Gnomo está fora. O próximo batera ainda não está definido. Mas, em breve, estará. Talvez nesse fim de semana eu tenha agradáveis novidades. Ouu iééé. Porque o punk da roça nunca morrerá!


E dia 27 acontece o III PUNK DESTROYER!

GARRAFA VAZIA - BONEQUINHOS DA OBEDIÊNCIA

VAMOS FORMAR FAMÍLIAS VAMOS CONSTRUIR CIDADES VAMOS MONTAR TABELAS VAMOS CRIAR VERDADES
VAMOS VIVER PAPÉIS VAMOS BRINCAR DE CIÊNCIA VAMOS CONSUMIR MAIS REGRAS BONEQUINHOS DA OBEDIÊNCIA


Muito boa noite, amigos e amigas. Ando meio sumidão. Taí: não é porque quero. É craro que rola um velotrol de preguiça na caminhada sometimes, mas é que tá faltando mesmo aquela oportunidade fantástica de sentar e descer a lenha mêrmú.



A SAGA PUNK CONTINUA!!!

CARNAPUNK EM CERQUILHO COM O SUBVIVENTES!

Vixi, tava bão demais o Carnapunk ontem em Cerquilho. Restos de Aborto, de Tatuí, rolando crássicos do punk/hardcore nacional, abriu a noite. Estávamos eu, a parça Suja e o amigo Tubarão! Todo mundo quebrando tudo, gente finisse pra tudo que é lado, união, humildade e nostalgia das boas bandas punks.
Mas o melhor estava por vir, e registrarei aqui nos vídeos que fiz. Que show foda do Subviventes!! Puta que o pariu! Sem comentários.

Eu, Vítor, Alex (Subviventes), Vermeio (Subviventes) e o amigo Tubarão. 
Porra, gripe é uma merda. Corpo pesadão pra tudo. Pescoço em crise. Humor pro buraco. Sorte que de quarta saio mais cedo do trampo. Aoopa.

solta a voz, Henriqueta!

Henriqueta Lisboa
Do supérfluo


Também as cousas participam
de nossa vida. Um livro. Uma rosa.
Um trecho musical que nos devolve
a horas inaugurais. O crepúsculo
acaso visto num país
que não sendo da terra
evoca apenas a lembrança
de outra lembrança mais longínqua.
O esboço tão-somente de um gesto
de ferina intenção. A graça
de um retalho de lua
a pervagar num reposteiro
A mesa sobre a qual me debruço
cada dia mais temerosa
de meus próprios dizeres.
Tais cousas de íntimo domínio
talvez sejam supérfluas.
No entanto
que tenho a ver contigo
se não leste o livro que li
não viste a rosa que plantei
nem contemplaste o pôr-do-sol
à hora em que o amor se foi?
Que tens a ver comigo
se dentro em ti não prevalecem
as cousas — todavia supérfluas —
do meu intransferível patrimônio?


Publicado: Pousada do Ser (1982)