Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Julho, 2011

O DISCO DO ANO E A EQUIPEZINHA DE SOM SEM VERGONHA

e amanhã novamente entramos em estúdio pra gravação de "OS GARRAFA", o grande disco punk de 2011. Garrafa Vazia vem com tudo!
Estava pensando sobre o recente boicote que sofremos. Pra quem não sabe, participamos de um festival aí, com sete bandas. Eu não sabia nem que ia rolar "premiação" ao final do evento, e muito menos sabia que existia um "júri". Enfim, seríamos a última banda a se apresentar. 
Tocaram todas as bandas e lá fomos nós, os fodões. De longe, éramos a melhor banda. Nada contra as outras, mas não tinha pra ninguém mesmo. Em originalidade, punch, feeling e atitude, era uma HONRA o festival poder contar com uma banda com culhões. Aí começou a patifaria. Veio então a mal dissimulada picaretagem, a falta de profissionalismo dos caras da mesa de som: os caras, que mais pareciam uns borracheiros marombados ENTERRARAM O VOCAL na caruda. Pra você ter uma ideia, eu cantando sem o microfone saía mais alto. Quando o Jorjão entrou pra rolar uns sons do F…
Pra mim esses caras que postam fotos no facebook de músicos deviam jogar a real e legendar as fotos de seus homenageados a rigor: "roqueiros gatos".

FIM

A frase é pronta e o discurso é uma piada. Juventude: troço perigoso. Aos 18  é punk, "tem visual". Aos 20 dá um tempo com a banda. Ui. Com 25 vende tênis numa loja do xópin.
como disse o Marcelinho Esfiha "o duro da mulher querer ser inteligente é ela ficar parecida com homem, né cara?". Aí ele pegou e foi fumar um baseado na praça.
perguntei pro Marcelinho Esfiha o que ele achou da morte da Amy Winehouse. O Marcelinho tirou uma catota monstro da napa - amarelona estilo Rafitus - e disse que tudo o que investiram pesado pra ela soar cool vão gastar na popagranda e merchan pra fazer dela uma Janis pros craqueiros sociais. Depois o Marcelinho acendeu um bagulho bem louco e ficou falando dos discos do Paulo Vanzolini.
eu vou comer essa melancia disse a jaque. abocanhou boca vermelha fatiadona no estilo magaly. suas sobrancelhas eram pintadas co sucãodali.e  a jaque comia a boca gozava eramelancia no seu cu.
Elevador Branco. O Dia da Gravação do primeiro EP dos Garrafa passara, e o Elevador ainda estava com a privada entupida. Cortesia de Bruno Lóque. Clima implacável de velha merda atingindo a napa da geral. Caravanas de micróbios matadores podem ser a surpresa para os próximos dias. 
Paredes brancas luz leite bigato? será que o Bruno Lóque mergulha o pote na privada e encontra Ruffles Rash? Com a tampa abaixada, o cheiro se esconde malemá. É, as paredes brancas do Elevador Branco ainda respiram. Elas estão tomadas, encharcadas de conversas malucas são pessoas que deixaram ecos por aqui sobre música moda melancia, pessoas inúteis ou mortas,  até o raiar do dia dançar enchaçado, cego pelo sol. Então todo mundo está chapado dentro do Elevador Branco. Olha lá, ele dando risada road to ruin, ramones camadas de tranquilidade na alma e mais camadas de bosta amanhecido. Bruno Lóque vai desentupir essa bosta morfética.
PORRA!! (OU HENDRIX MANDOU PERGUNTAR)
Se a hipocrisia foi ultrapassada há tempos pelos fatos, tanto faz: 102% das pessoas de Rio Claro são assim : de dar nojo em qualquer alma incapaz de se vender.
 A imprensa rioclarense é iletrada, vergonhosa, é a imprensa de Rio Claro.

O SENTIMENTALISMO BACONZITOS DA MÚSICA JÚNIOR

O problema dessas bandas choronas baconzitos é que a vida não é APENAS uma comédia brega, de estereótipos asséptico-burgueses - lidando com temas menores como "ser aceito", "sexualidade", ou "ter um amor que não sabe escrever nem o nome das marcas de roupa que usa corretamente". Não, a vida pode ser bem melhor que essa falta de vergonha, coragem e vitalidade. Essas pessoas são como bolinho de vento: não valem nem uma bronha. E tem mais: o emochorão é tão mão na cintura que deixou como legado o metalcore e seus relinchos de baixa potência vocal, os trouxas do Vanguart e essa gentinha indie, além do power pop playmobil de internet.
GENEALOGIA DO SENTIMENTALISMO FORÇADO
Tem origem essa desgraça maneirista nas mãos dum sujeito que atende por Paulo Ricardo. Afinal, ele é um cara que faz trilha sonora de reality show e teve uma banda synth gay nos anos 80 que teve a manha de regravar Caetano Veloso. Enquanto o Replicantes cantava não vou porque não, eles brincava…
"O contraste entre o homem e sua obra parece dar um exemplo clássico do poder da literatura como devaneio compensatório."
enfim, férias:
a patroa e eu
partindo pra
praia de férias.
caso trombe 
pecê algures
caso desmonte o muro
se pá eu posto
se pá pum
vá em paz meu amigo, a vida tão curta tudo tão rápido insano
obtuso
obscuro
que o último absurdo o improvável  aconteceu.
eu nunca vou lhe esquecer, meu amigo, meu irmãozinho.

Marcelo, Muceli, vá em paz bróder! Estaremos por aqui lutando e lutando, vivendo intensamente cada segundo e lembrando do teu sorriso malandróvisky, nas palavras do Saulo "menino de ouro". Marceleza, eu sei que você nessa hora gostaria de ver todos bem, fortes e felizes. Deixa com a gente. Lembraremos sempre da justeza e firmeza do teu caráter, das horas inesquecíveis que passamos juntos, rindo, ouvindo Misfits, Ramones, AC/DC...
A vida é assim, meu amigo. Que merda...


Com uma lágrima no rosto e uma dor indescritível no coração, lembrarei sempre de você, Marcelo. Descanse em paz.