quarta-feira, maio 29, 2013

EXAME MÉDICO COM NOME DO PATROCINADOR




José Luiz Runco, médico da CBF. Sujeito importante. "Gueitoreide", ele diz. Está sentado fazendo propaganda. É hora da entrevista coletiva da CBF.

O doutor exibe então para as câmeras seu rostinho saudável, bonitinho.

O doutor foi atropelado por um eterno tropé de Passaport.

E até sua última cafungada aqui na terra, terá essa bela cara de mofo azedo.

sexta-feira, maio 24, 2013

Realmente, que hora de merda pra privada entupir, hein? Mas foi só um susto.

O LADO IRÔNICO DO NAVEGADOR MALUCO

"Bennett certainly has drawn more from bel canto style than scat."

No entanto, segundo o Google Tradutor, não é bem assim:

"Bennett certamente atraiu mais de estilo bel canto de fezes."



quinta-feira, maio 23, 2013

quarta-feira, maio 22, 2013

OUÇA JUSSARA


Ouviu-se no recinto o punzinho. 


Jussara peidara de supetão.



Sabe aquele gás quente?


Peidara, a Jussara: plóque.



Aquecida, sua carçola enchera-se do mais nítido gás butano. E aí plóque: outro! 



Ela respira e blum. Não consegue segurar aquela galera. Uma saraivada de flatos conspirando pela atmosfera. Uma sequência incrível dispersa do anel. Jussarinha era o Tony Iommi dos peidos.


Jussara permanecia assim, em sua tão aguardada entrevista de emprego. Até que um deles saiu molhadinho. Escapuliu como um velocista nato, escorrendo-lhe através dos pêlos daquela sua perna gorda.



- Jussara, por hoje é só.



Ela levanta-se. 



Está cagada. Toda cagada. De carçola brown.


Vai-se embora de pernão aberto, abraça na própria pele o corrimento fecal.

Aquele fluxo de bosta. Seu suco de cocô natural.

E  o entrevistador passa-lhe pelo raciocínio. Será que ele gostou de mim? 


Que ansiedade!

E então Jussara sente a testa fria.



Sua testa está muito fria. Mais fria que o normal. O suor frio é tão brilhante e típico dos aspirantes à cadáver, é tão abundante que Jussara estaca, violenta vertigem. Pernas esmorecidas. A visão turva, sentidos quase nulos. Será que vou desmaiar? Plóque.

POR UM MUNDO SEM BAD TRIP




Por um mundo sem bad trip.


Por um mundo sem as múmias da CBF fazendo carinho na FIFA.


Um mundo sem a categoria "realismo" na ala da street art.

E um Brasil sem pseudo-artistas de merda pedindo colo. 


Sem Criolo Antunes ou Lobão Hermanos siriricando na banheira do jabá, vomitando suas belas porcarias reprocessadas, que serão endeusadas por sujeitos preguiçosos, incapazes demais para desgrudar da mamadeira do superficial.


Um mundo sem Wikiotas, que vão beiçando na mamãe Google toda sua deselegância intestinal.


Aopa.

Assim e assim.

Por um mundo sem bad trip, enfim.

terça-feira, maio 21, 2013

ISTO É LUXEMBURGO


Luxemburgo ainda é técnico do Grêmio.

Afinal, a multa rescisória é altíssima.

E ninguém quer o Grêmio.

Nem o Mano Menezes, que pelos seus vastos aposentos, amparado por seu travesseirinho, sonha treinar em solo europeu.

Luxemburgo só torrou grana e não ganhou bosta nenhuma.

Obteve aproveitamento de 50% em 2013.

Foram 10 épicas derrotas.

E  o que mais?

Vandeco foi:

Eliminado na semifinal do Campeonato Gaúcho pelo Juventude.


Caiu na semifinal do competitivo "gaúchão" pelo segundo ano consecutivo.

E o que mais?


Vandeco foi:

Eliminado na Libertadores pelo Santa Fé. Por quem?

Pelo Santa Fé, acredite.

Os colombianos carrascos, que avisaram a imprensa: "vamos comer os gremistas."

Desgostosos, dirigentes gremistas haviam sumido com os jornais do hotel.

E não adiantou.

Como prometido, a resposta em campo foi dada: os colombianos comeram os gremistas.

O Grêmio chorou.


E tanto dinheiro gasto foi pro lixo.

Os colombianos, que tanto conhecem as narinas do Luxa, aprontaram mais uma.


Assim como o Milionarios, na Copa Sul Americana do ano passado.


LOSER


Luxemburgo é um loser.


Em oitenta anos de profissão, não sabe o que é levantar uma Libertadores.



E a diretoria do Grêmio anunciou o mais patético.

Luxa fica.

Mas deu-lhe uma bronquinha.

Porque disse que o professor passa boa parte do tempo cuidando de sua mais nova paixão.

Luxemburgo passa boa parte do dia em sua nova loja de vinhos, em Porto Alegre.

E isso não é legal.

Escolha um brinquedo de cada vez, Vanderlei.


O Prófi já brincou de jogador anônimo, dirigente, empresário picareta  (procurado pelos tiras) e de nariz de Chico Anísio.


Enfim, esta é uma grande notícia para os anti-gremistas.



Até o Zeca Baleiro acha ele "um embuste". "Só treina time 'Milionário' e...".

Porra, até o Zeca Baleiro.



Mas não só ele.



Pessoas mais bacanas também o criticaram.

Inclusive o PVC. Grande comentarista esportivo, PVC já chamara-o indiretamente de antiquado, em termos táticos.


Loser não gostou.

De mandíbula em fúria, abriu uma garrafa de Chapinha importado.

Aprumou-se no terno limpinho, acionando o telefone sem fio. Com voz imperativa, Luxa liga então para um ex-boleiro, um glorioso traficante habilidoso.




Luxemburgo não fala mais com PVC.

segunda-feira, maio 20, 2013

ENQUANTO ISSO, NA VELHA RIVERS...


Olha só.

Tomava, junto de minha companheira, o meu glorioso café.

Aquele café expresso pós almoço, sagrado. Na padoca. De boa. Normalzão.


Aí, ao meu lado direito, surge ele.  O amigão. O infeliz intruso do acaso.

Ele resolve mexer com quem está de boa, tranquilo.

Começa a me encarar. Que medo. Está do lado de fora, todo enfezado, o olhar mordaz. Capricha nas caretas. Precisa do olhar fixo. 


De pé, insiste. Não para de me encarar. Está no maior love e com cara de estrume. Acho que quer briga. Será?


Eu o questiono, levantando a cabeça. É o gesto típico do "que foi, porra?".


Ele faz também seu gesto. Ergue a mão direita, imitando um copo, imitando uma pequena dose:


- Tô esperando meu café. Porque eu prefiro pedir do que roubar.


Que caridoso. Puta favorzão.


Então veio-lhe a resposta , de bate pronto:


- Foda-se.

MOMENTO AGRADÁVEL



sexta-feira, maio 17, 2013

LAMBUZADÃO, O BEIÇO




Tadinho do Joãozinho, fez cocô na calça. Constrangido, chorou pus. Mamãe veio correndo de quatro. Limpou-lhes os olhos, as mãos sujas de requeijão cremoso. Joãozinho trazia no calçãozinho três bolotas. Três pães de queijo gigantes, marronzinhos. 

Mas Joãozinho gostou muito é do que viu depois: ela comera todo aquele pudim, mamãe não mastigava. Engolia.

NEIMÁ




Neymar Júnior. Neymarketing. Menino lindo. Decisivo contra a União Barbarense.  Levantou sete copas do mundo pela seleção. Nunca pipocou com a amarelinha, acredite. 



Neymar lê Tolstói. Neymar gosta de música rebolada. Ouve mp3. Ouve a música alta no fone PAQUITO. Neymar ama o Mickey e o papai. Cinquenta, sessenta dias por ano tirando fotos publicitárias. Tá no contrato. Compromisso. Mas ele é humilde na frente das câmeras. E dá conselhos aos jogadores mendigos que desperdiçam pênaltis decisivos. Coloca a mão no rostinho e declama Augusto Cury, menino da Vila que é.


NEIMÁ.

E o retorno técnico?

Desempenho tico-tico dura cinco joguinhos já.


Mas o mais importante é:



Neimá não treinou hoje no campo da decisão.


É que o Neimá gravou comercial para o sabonete ÂNUS na antevéspera da final do paulista.

quinta-feira, maio 16, 2013

CENAS APÓS A ELIMINAÇÃO DO CORINTHIANS NA LIBERTADORES 2013










TRANSFERINDO RESPONSABILIDADES OU FALANDO BOBAGENS?

"Não foi nós que perdemos, fizeram-nos perder". (sic)

Discurso do presidente corinthiano. 

E, não satisfeito, foi além: populista caricato, deixou um beijo no coração dos fiéis torcedores.

Que sujeito brega, covarde, diz o Antônio Gemada. 

E o Gema prossegue a crítica: "Perdeu, perdeu, meu filho. A vida continua, oras."

Voltemos ao discurso.

O dirigente mostrou-se patético em dose dupla.  

Porque o molho-extra do derrotismo ganharia reforço integral pelo tom da declaração na entrevista coletiva.

O presidente era uma menina-velha ressentida, segurando o choro sem muita credibilidade pra tal façanha. Fazia-o com voz trêmula, uma voz pink cheia de insegurança kid. Mas, convenhamos: também era uma voz coitada de mama derrubadona no sofá da sala ao saber das novas traiçoes do Agenor com as putas pescadoras do riacho Jason.



E O OUTRO LADO?

Enquanto isso, Riquelme ri na entrevista coletiva. 


Sorridente, o craque comemora internamente sem parar, meus amigos.

Vai respondendo tudo agora numa pose de folgado-Quico. Os jornalistas cumprem perguntas mágicas.

Aos poucos Riquelme arma um rosto sério. O semblante do carrasco arrisca uns dribles também.

Riquelme diz que ele e os companheiros fizeram o mesmo de sempre. O que sabem fazer.

A verdade é que esse time do Boca perde do sub-15 do Borussia Dortmund.



Mas já sagrou-se campeão. Não precisa disputar mais nada na Libertadores, nem cara ou coroa.

Tem o troféu incluso no peito já, por eliminar da competição o time que tem a torcida mais desagradável da América.


OUTRAS VISÕES

O comentarista Maurício Noriega, no Sportv, minutos atrás, enaltecia o discurso de algumas pessoas, no caso a postura dos jogadores eliminados.

Dizia ele que era bacana aquela atitude, de não creditar o adeus ao trabalho do juiz.

Trio de arbitragem que realmente apitou a partida com a competência do Cidade Negra tentando fazer música.



E o Tite?

Tite, técnico que respeito, disse que foi cínico.

Disse que exibiu seu lado negro, falso, ao final da partida. Depois do apito final, d
irigiu-se ao centro do gramado, convicto. Estendendo as mãos,  cumprimentou o trio de arbitragem com esta bela palavra, meus amigos: "parabéns". 


E disse também que o Tijuana foi desleal na partida de ontem, contra o Palmeiras. Sempre sobrava um braço, cotovelo, moqueta, bifa pra cima dos jogadores palmeirenses, também eliminados.

CONCLUSÃO



Enfim, o futebol brasileiro volta a trazer alguma migalha de mini-emoção. 


As redes sociais estão como pipocas de microondas em ritmo de liquidação nas Lojas Vinícius.

Sacanagens verbais são disparadas em tempo recorde. É o improviso maroto derrubando mais uma vez os torcedores derrotados.

São tripudiadas mil, gracejos plagiados com muita gorgonzola e desleixo intelectual.

E o mais ridículo é que o "poderoso" futebol paulista afundou bonito na Libertadores.


É.

Que se foda.

Prefiro ler A Hora dos Ruminantes.


Mas, pior que tudo isso, só o repórter da Fox Sports.

- O que faltou Ralph?

- Faltou fazer gol.


quarta-feira, maio 15, 2013

IMITANDO INDÚSTRIAS


Indústrias. Vamos brincar? Os pobres do bolso também criam. Desejam público. É a ciranda bacana da cultura leviana.


Os pobres do bolso também criam. Levantam fábricas de gelo. Não são vinhos, mas querem ser apreciados. Como se o consumidor bebesse tanto, depois de cagar e não limpar o ânus. Indústrias Paparicagem. 


Os pobres do bolso também recriam protocolos. Também. São uns também morrendo também. Porque depois das fórmulas, tudo ficou mais fácil. Aplique a fórmula. Os atletas da arte me disseram que montar uma imagem de merda é simples. 

Na Noruguega brasileira, as fórmulas foram estabelecidas, assim como forminhas brancas de gelo. Só que ao invés de gelo, temos bolo fecal. Entre os dentes, há cocô. Mas os tempos mudaram depressa. Agora temos jatos de bosta espirrando na sua cara, com dignidade.

A INTERNET BRASILEIRA É PIOR QUE O LULU SANTOS OUVINDO O ÚLTIMO DISCO DO CAETANO




Um mundo com muita internet brasileira.


Um mundo repleto de internautas brasileiros, com muito molho para Doritos.

Pique banheirão químico coletivo, com dois milênios de uso contínuo, tá legal?


Internet Brasileira

O punch canarinho na rede é tudo de bom, né?

Livre acesso, acesso livre.

Basta querer.



Internautas brasileiros escrevem corretamente. Com inteligência. Com elegância.


Não GRITAM como ingênuos imbecis, poxa. 

A ortografia é claríssima, longe do desvio da quinta-série.

Escrevendo tão bem assim, é inevitável pensar por imagens simples.

É uma comunicação enxuta pra chuchu.

São as piadas de alta resolução.

Com suas montagens nos Photoshops da vida, feito retardados, os internautas brasileiros curtem a vida.

Suas originalíssimas produções, com temas de profundidade filosófica invejável, são compartilhadas em brocólis. 

E assim, todo mundo fica mais jovem. Fica mais feliz.



FILMES, NOVELAS E PROPAGANDAS

No perímetro do audiovisual então, o brasileiro é show de bola.

Dono do maior lag mental de todos os tempos, principalmente no quesito ala das importações.

O brasileiro que vive na internet é muito engraçado.

Muito gozador.

Assistindo alguns dos mais buxixados canais tupiniquins do YouTube, você descobre muita coisa.

A escalação do time de basquete, a seleção brasileira, por exemplo.

Eis o quinteto titular:



Rica Analfa



Manolo Preguiça.


Jairo Burrice.




Túlio Mau gosto.

Billy Insegurança.



Lembrando que a equipe está completa.

É a equipe definitiva.

A equipe que seguirá jogando por mais vinte mil biroscas, atuando pelos ginásios das animadas redes sociais, inventando modas  bacanas no YouTube.

É a equipe que não desiste muito.

Que já esteve toda ensaboada em programas de stand-up comedy e nas ilhas de risólis.


quinta-feira, maio 09, 2013

DERIVAÇÕES DO CASÃO


Às vezes um pouco bronco. Outra vezes reclamão demais. Quase sempre encrenqueiro, mas pra sempre parceiro. Cem por cento transparente, este aí é o Casão.

GOSTO NÃO GOSTO


Gosto de RUN DMC. 
Gosto do Public Enemy. 
Não gosto de rap com letras boquetas.


São Paulo Futebol Clube 2013

O São Paulo é o time da fé. De fato.

Contudo, torcer pelo atual elenco vai muito além disso. A fé não merece o fardo.



O tricolor não empolga. Juvenal Juvêncio sim empolga. No uísque.


O tricolor não conquista títulos de verdade. Não vence clássicos.

Na última Libertadores, teve 100% de aproveitamento nas derrotas fora de casa.

Elevou o Morumbi ao status de campo neutro.


Eu respeito o Ney Franco. É um bom treinador, apesar das falhas. O Ney é representante de uma nova safra, etc. Safra da decadência.



Mas agora vamos aos fatos.



O elenco é manco.  Manco e ruim, em quase sua totalidade.


É como o Black Sabbath com o Tony Martin.


As peças faltam. O quebra-cabeça é bizarro.


Vamos ao goleiro aposentado em atividade, Rogério Ceni.



Mito, sem dúvida.



E num final de carreira medonho. 


Um erro de goleiro vale muito, todos sabem.



Rogério ainda faz boas, importantes defesas. Cobra bem os pênaltis. Tem peso dentro e fora de campo. Está  ainda mais careca também.



E tem protagonizado uma série de lambanças que envergonharia o pessoal ponta firme de qualquer asilo, do mais humilde ao mais grã fino.



Quando o time perde, com ele tomando gols defensáveis, com bola no meio do compasso, é como se o fantasma da aposentadoria assim o cortejasse, e com muito mais veemência, apelativa até, eu diria.



Agora passo a repensar o papel dos laterais.


Seriam laterais ou  loterias? Penso que estes atletas criam jogadas na base da sorte. Lamentável.

E a defesa?

DEFESA?

Eu gostava do Rodolfo. Gostava. Apesar das limitações: ele é fraco de cabeça. E atualmente adora sair jogando cagado também. Com seus chutões escrotos, declama aos rivais "toma a bola de volta, parceiro, tó. Pode atacar numa boa".


Apesar dos pesares, ainda acredito no Lúcio. 



Mas que ele tem postura de mulecote e atrapalha o grupo em momentos cruciais, não tenho a menor dúvida. Evidente que arrancando fora o Lúcio, o São Paulo cairá ainda mais no setor defensivo.


E o grotesco? O Tolói bateu bem o pênalti contra o Curíntia e só. Fez um golaço de falta também, poxa, que decisivo!

É grosso de dar dó, espirra o taco na maior pala. Devia jogar no time B do Goiás pra sempre. Se ele fosse uma banda, seria um Def Leppard cover caindo aos pedaços.


Adendo: Paulo Miranda. Ele fez boas partidas, até. Cumpriu bom papel tático. Deu a volta por cima, mostrou garra. Mas cá entre nós: é apenas um virtual bom reserva, e fim de papo.



Bom, agora temos o meio campo. Dois volantes desgovernados. Aplicados? Talvez.  O principal, no entanto, é que errar milhões de passes é com eles mesmo. 



Não adianta ser guerreiro se o feijão com arroz com a gorduchinha dominada é prontamente medíocre. 

E os "meis de crianção" ? Ganso e Jadson. Dois baixistas com estilos diferentes tocando numa banda decadente, tipo um Faith No More enferrujado avançando o sinal vermelho. 

A contratação do Ganso foi o filme Risco Total dos últimos tempos.




Calma lá, falta o ataque.


O ataque - o ataque é cardíaco!


Osvaldo está com dores no quadril. Ademílson tem 19 anos e fez uma outra boa jogada e golzinho miserável. Grande merda. Não fez mais do que a obrigação. "Mas ele só tem 19 anos". Que se foda. Com 13 anos, muito caboclo empurrava pro balaio os gols que ele perdeu no momento mais importante dos últimos dias (partida de ida contra o Atlético).

Os outros atacantes? Aloísio é batalhador. Está cavando espaço, tem raça, é um altruísta como seu xará. Mas falta o diferencial. 

E o resto? O resto é uma merda. E se marcar, o treinador prefere escalar o Tony Ramos ao invés do Wallyson.



Já o Fabuloso vive de passado. De uma fábula trágica.  De um passado carente de títulos importantes. "Chulapa". Dá um tempo. O marrento do passo malvadão vai sair pela porta dos fundos, com vaias grindcore.

E nessa rápida análise de merda, esqueci de mencionar a boa despedida do Casemiro, a péssima saída do Cícero (assim como a do Jean) e a insistência com o Douglas (o dono de todo banco de reservas) que corre, corre, corre, tem raça e é uma barata tonta.


Temos também o Fabrício, o azarado Negueba e o misterioso Cañete. E o Maicon, e o Rodrigo Caio também. Jogadores que não lembram em nada alguns craques do passado. Vamos refrescar a memória?

Esqueci de muitos, óbvio. Não tem problema.









Apesar de "decadentes", os novos técnicos estão na luta. E espero que o Ney Franco perdure no comando.

Mas comandar o São Paulo é passar primeiro por cima do(s) dirigente(s). E atropelá-los, literalmente.


















Parabéns Juvenal Jumento. Você é maior que o São Paulo Futebol Clube. Nós te amamos.

terça-feira, maio 07, 2013

SAUDADES DO ROUPA NOVA




Acho divertido constatar  a noção de cultura musical no contexto caipiraneném.

Divertido e patético.

Vejo as antas de ontem, por exemplo.

Xóvens que causavam vergonha alheia com seu "VeuVÉTI e o disco da banana" estão agora brincando de rock star num salão de festas com nome de sorvete.

Uma geração de merda, cheia de poses cafonas, analfabeta com louvor, que faz questão de subestimar o bom senso.

Afinal, não importa se ontem você sonhava que o Falcão (quem?) do Rappa salvaria o mundo, cantando seus versinhos bregas clamando por justiça. Não importa se até a próxima primavera o Criolo (quem?) ou o Chorão (atitude na veia) vão tornar você um ser humano mais otário.

O que importa é que você é burro, tem mau gosto e ponto final.


OUVINDO HARDCORE E LENDO ESCRITORES BRASILEIROS E DO TIO SAM

As pessoas estão sem coragem.  As pessoas brincam verbalmente nas redes sociais perpetuando o lado cômodo da vida.  Já é uma bela bos...