Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Fevereiro, 2014

RUA 8, RIO CLARO

A Rua 8 sempre foi de responsa. 
Vale a pena caminhar neste belo livro. É um trajeto tranquilo. É permitido voar, e pelo chão é garantido também: onde os passos pedem passadas cheias de sossego você curte as calçada estripuliantes do passado, a Rua 8 é calejada e não foge do ringue. É renovador para o espírito, esse fôlego. Rua 8, antes de morrer. A transmissão de paz prevalece, hoje o compasso chuck berryano - just roll, babe. Esperança e luta, Rua 8 confere. Entre nessa boa-pira você também.

OLGUINHA, TRANQUILA

A Olguinha é bem tranquila, lentas pegadinhas em anárquicos horários, delineados com a constância de ferinha.
levou a pior.se atrapalha todo.cãibra é prejudicial ao espetáculo.e o caílton já tem cartão amarelo.ih, olha lá.o jucimar despencando no gramado.valorizando o tempo, ator de quinta categoria.que jogo sujo você vai me desculpar mas isso é demais pra minha cabeça.
goleiro chorando com dor na perna pedindo gelol paralisação de merda.torcida sem paciência, goleiro fanfarrão, fazendo cera na cara dura. os pilotos da maca sofrem à beça, pedindo fuga.esse antijogo é uma lei da idiotice recente do futebol brasileiro, cretinização ou não, você vai me desculpar mas isso é demais pra minha cabeça. levanta, filha da puta!

autoritarismo é uma piada. o bom senso levou uma machadada na nuca e morreu jovem.

OBA!

oba! oba, discussão de feice buqui. discussão com anúncios. discussão com originalidade, doses cavalares de reflexão e léxico elegante. oba! orgulho vaidade e hipocrisia com faniquito júnior em tempo real! que legal! eu concordo, e você? enquete. eu sou contra. eu sou isso. aim odeio lista. você é manipulador, como assim? "aff". você é aquilo mesmo. "eu me coloco acima da discussão porque sou doutor". eu sou legal, e você? eu sei e você não sabe, viu? eu conheço, tenho experiência. eu sei fazer isso, eu sei até pensar um pouco! mas não penso, não penso porque não me interessa. eu gosto disso. eu não gosto. eu sou engraçado. eu sou mau. EU ESCREVO ASSIM. eu fui campeão nisso. eu tenho. eu perdi mas vou comprar um melhor. verdade. verdade!! eu nasci mesmo, duvida? eu faço apologia ao crime. eu e a música funk. eu tô cansado disso, quero de volta o Orkut, gente. eu vi agora pouco. sério? eu e as manifestações. apóia ou faz bico? hashtag com modernidade e duas pitadas …
Um longo silêncio para toda linha torta de desacerto do mundo. Mundo dos humanos, que fique bem traçado, porque os cachorros - de língua de fora, impulsivos e felizes pra dedéu - apenas procuram por diversão, rabinho abanando à milhão, os ferinhas aproveitam fácil enquanto a noite sonda a janela da chapação. O homem não sabe a hora de parar. Tensões no rádio da incomunicabilidade e mais um ego bobo boiando na própria bosta. O cachorro não dá a mínima pro Joel Santana, nem chegou a  frequentar a aula inaugural daquele velho professor de bomba atômica “preste atenção, vou explicar pela última vez”. 
Eu não sou uma pessoa que anda com uma samambaia no bolso e essa samambaia no bolso cochicha inseguranças, eu não sou uma pessoa, eu sou um taco de beisebol, mas eu não gosto de jogar beisebol, existência inexistência, vida, vinte quatro horas dentro de um aquário, salvação ou não, todos tontaços, mas porque não otimismo, porque não rugir e conhecer você e ir com você tomar um ar, escolher um bom parágrafo daquela literatura imbatível do século XIX e caminhar através do silêncio, nada de inventário de tristezas, nada de pensar alto suas próprias BABAQUICES que são apenas frustrações - fruto de cópias, os executadores de ideias alheias cagam bolinhos de tétano, que tal uma ocupação de espaço saudável, amena, cruel, face a face, as coisas são finitas, a vida passa num peido ligeiro, vamos curtir, abraçar os amigos, escutar o 77, e conversar com os velhos cachorros enquanto os gatos dormem no calorzão do capeta, é fevereiro, é foda mas eu curto.