Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Julho, 2014
Adam Clítoriz se atirou no sofá! 

Xuompi! 

Show.

Aquele mergulhão em slow: o corpo esticadão, voar de lado é sensacional.

Sem perigo para o planea.  Partiu de meia, na sola do pé o relax. Resetou a moringa: zeropobrema sangue sessão da tarde.

Antes do mergulho a vida era sem graça: mergulhar no sofá é a solução.
Viveu para curtir o pulão no sofá.

Veja Adam Clítoriz despencar para o sossego. Xuompi! Almofadas, uma salada de almofadas. Meia soft chulé, mergulhe com Adam Clítoriz.


CHEIRO DE AMOR

Coisa feia, o malandro levou pra casa um celular chinfrim de trezentas pilas e deu vexame.
Insatisfeito com a precariedade do aparelhinho, voltou no dia seguinte na loja e meteu uma bolacha servida na vendedora, no nariz.
O centro da cidade parou. 
- Faz B.O Clércia!
Engolindo o choro de ranho, Clércia caiu fundo no procedimento. E muita coisa mudou, realmente.
Brasileirão 2014 tá chique.
Nível técnico altíssimo: o jogo é pelo alto, ping pong pula pirata, meio campo truncado, fair play e honestidade, não há cai-cai, os chutes são precisos, não há um chute que a bola vá pra lua.
Vivemos uma várzea piorada, onde desfilam atletas vazios mentalmente, esquema táticos gagás, e quando falo dos atletas chucros estes não o são por falta de oportunidades, e sim por luxo e um certo mulecote parasistismo da aba torta associados.
É, o jogo é lá no alto, Chutão Rifaldo e sua bicuda na fazenda, buracos e brioches podres no café da manhã deste outro esporte parecido com o futebol do passado. 
Um exemplo de partida memorável?
Flamengo e Botafogo no úrtimo domingão. Terrível. O ex-treinador em atividade Vandeco Luxemburgo depois me aparece com a família, todo de vermelho, saboreando a goleada implantada, um a zero:  tortura visual que dá direito a um vale pena de morte.

ONOFRE MUST DIE

Bole-que-bole no Bar do Afonso.
- Parmera ou Curintcha domingão?
Ninguém botou pilha.
O Neninho Darkness apertou o repeat:
- É Parmera ô Curintcha, fídasputa?
Ninguém deu trela.
O Neninho Darkness deu linha.
Era a deixa esperada pela turma. O Neninho era flamenguista. Já tava beldão. Aluguel nessa altura do campeonato, nem pensar.
O Flavinho sugeriu:
- Eu acho que é empate. Zero a zero, jogo de merda.
O Onofre jogou um jab:

- Valendo um frango assado?

O Flavinho foi rápido:

- Tua mulher de frango assado?
Formou-se então um clima pesado.

Onofre apareceu quente. E foi um socão. O Flavinho naquelas banquetas altas tombou pra trás com tudo! Puta barulheira de taco de bilhar caindo, copo americano espatifado. Barulho e vidro trincando, o Onofre pisava nos cacos, cróque, e deu uma puta bicuda, o Flavinho como recém-nascido, o sangue como oferenda.
Só que do chão ele já puxou o cano, se ergue rapidão! E a bala destroçou a perna esquerda do Onofre, que caiu esculachado, corre-corre: a turma se ligou que era…

SHITFUN EM RIO CLARO !

Direto de Petrolina, Pernambuco!
Em breve maiores informações deste lindo bailão no interior de SP!

DUNGA E LUXEMBURGO?

Inovação. Poesia. Invenção. Futebol-arte. Golaço.

CASÃO E O CAREQUINHA

E o Carequinha achou graça duma piada reaça.

Aí chegou o Casão e não achou o menor motivo pra rir.

O Carequinha abaixou a bola. Foi pedindo licença, mas levou um bico no calcanhar, caiu de cara na Rua 9 e se entupiu de bicuda pro meio do pote, o público começou a se desesperar:

- Manda ele parar!

Que nada. O Casão metralhou no quichute. Era uma saraivada de pontapés querendo encrenca, se bem que quando terminasse a brincadeira o mundo voltaria ao normal.

- Ele tá matando ele!

O Casão se virou pra dama e disse:

- Eu sei.


Na verdade, bem que ele podia parar, mas assim como bom cachaceiro, estava longe de ser dar por satisfeito com pouca munição. Mas o pior ainda estava por vir.

- Me dá o vidrinho de pimenta!

O pessoal do Big Bar, entre angustiado e descrente, ficou travadão. Só que um figura passou o vidrinho.

Aí o Casão esparramou todo o condimento por sobre o Carequinha. Cumpriu a tarefa ao pé de letra. Em seguida, voltou ao velho hábito. Agora havia pisado no nariz, lenha pura.

- Ele matou ele!

E…

PARA O SEU DELEITE

E rolava um trampo infantil no Janeirinho.
O pequeno Jônata era explorado pacas. Aprendeu a ser robôzinho na despedida com os clientes, "volte se-sempre".

Mas quem era pior?

Talvez Janete, a incrível garçonete.

Que gaguejava ainda mais. Gaguejar é uma coisa, vocês precisavam ver ela gaguejando enquanto atendia e equipava o sanduíche fudendo com o recheio. Gagueja e babava maionese Arisco, inclusive. 
Numa feita, a galera foi servir o pessoal do Rotary. O pedido chegou de bicicleta dezoito marchas.
E a geral do Rotary amanheceu na mais pura diarréia.

CARO, APERTADO E INCONVENIENTE: JANEIRINHO LANCHES

A pegada do Janeirinho Lanches era esquemão Subway.

Lanche tipo submarino, trip em molhos variados, salada a dar com pau, rúcula no rolê - aquela coisa toda natureba pra apetite de lenhador nenhum botar defeito.


Só que não emplacou. Faltou carisma e qualidade, basicamente. Uns acusaram de ser "muito caro, porra". "Puta lanche seco do caralho". Outros diziam que o atendimento era "precário por bosta".


- Os caras são mais inseguros que o Thiago Silva em cobrança de pênalti.


O certo é que aquela galera do comando era uma galera de Deus. E meio abelhuda.


Certa vez, um casal desprezou o Subway. Resolveu arriscar. "Vamos testar o janeirinho". Chegaram, acharam o ambiente muito claro, missa das sete. Tá legal, vamos nessa, quanto custa o lanche? Pegaram o cardápio, deram aquela scaneada geral. Efetuaram os pedidos. Então, a Cássia jogava um papo legal com o Dagoberto, enquanto a bóia não saía. 


De trás do caixa, o gerente Lico sacou a movimentação. Ouviu fal…

CAGOU E FOI EMBORA

O Xandão quis vender leite em pó pra tirar uma grana.

Era leite de primeira, falsificado.
A polícia grilou e o Xandão acordou vendendo mijo geladinho na face, terrível.


Quis sair no soco com o guarda, perdeu dentes, dignidade. Foi envelhecendo feito maria mole cansada no xilindró, de alma enguiçada.

Só que aí o Duda Plumati descolou um habeas corpus com gostinho de Danone moranga. Estava tudo certo. O Xandão agora podia queimar duzentos finos que ninguém ia roubar sua brisa.
E ele foi lá pro Big Bar.

- Me vê um Coração de Frango no pão francês.
Nessa hora ele se ajeitou junto ao balcão, sentado no bancão alto de madeira. "Pô, cadê o Normal Tranquilo? Gosto desse cara. Ele manda uns hadoukens."
Quinze minutos passados e nada do lanche.

Quinze minutos e dez segundos: o lanche chega na bandeja, armado de vigorosos sachês, é munição maionese e o catchup ilustrado ao lado da mostarda Jersey's.

Umas mordidas bem sacadas. Era devoração atrás de devoração. Muita, muita fome. Dez mil fol…

PLÚM !

O Bruce entrou dando pinta de que estava cansado.

- Me vê uma dose de groselha.


Foi num golé só. PLÚM! Ergueu o copo americano e pimba: só faltou uma chuva de aplausos no Chupeta's Bar.


Aí chegou um grã-fino cinquentão. Ele ficou abraçando o Bruce. Amassando o Bruce.  Mas o Bruce nem vacilou, meteu logo uma bifa de direita na napa do coroa almofadinha.


- Aiiii


O nariz da vítima virou um sanguinário chafariz. Uma xícrinha de amendoim japonês fora atingida no balcão. Uma dose de cuba libre também acusou o recebimento do material. Para o ébrio Mondibas, começou a escorrer sangue do teto, e o lustre ficou ó positivo.


Enfezado com a torrente de sangue, o Bruce deu linha.


O grã-fino riu pra caralho. Riu, riu, riu. Ficou com o nariz de babata todo retorcido, rindo em sangue quase lúdico, no chão. Riu tanto que seu pinto virou salsicha.

A VIBE DO PUTS PUTS NO POP ROCK PRESENÇA

- Essa guitarra aí é internacional?

Como se vê, mudaram os termos: de importada a coisa virou mais fera, é gringa, internacional. Sinal dos tempos, chefia.

E falando em sinal dos tempos, o Mané resolveu se reinventar.
Está disposto a se arriscar no criativo ramo do pop rock nacional, hoje o papo é música.
E o que realmente "pirou seu cabeção" foi o avanço da música eletrônica. 
Principalmente o Júnior. É, o ex-Sandy & Júnior. Quando ele apareceu pro Brasilzão inteiro ver no Big Brother, o Mané se encantou. Viu ali uma cara bem sucedido com a mulherada improvisando com ritmos eletrônicos. A casa aplaudiu de pé. E o Mané xonou de acordo, ficou de quatro com aquela performance. O filho do Xororó é uma mistura Campinas de Hermeto Pascoal com o mais obscuro Zappa. Incrível.
Agora o Mané vai tomar um litro de uísque com red bull e apertar o play entre um cover e outro do Charlie Brown, ou do Capital. Irado.

GENTE QUE É NOTÍCIA

Os cagoetas se reuniam lá no Amesquinhado Lounge. 
Pela suas bocas saía muita magia tutti-frutti. Os círculos eram estreitos. Uns não aceitavam os outros, alguns nazistas tiveram que se reinventar,  sua hipocrisia revisitada ganharia nova conduta. 

Outros apenas empinavam o narizinho por birra. Alegavam que os convivas não eram tão famosos ou populares.
Os drinks eram "só para os raros". Era muita fumacinha na taça. Charme. No entanto, uma azeitona certa vez reclamou da frescura e deu o fora, foi quicando até a rua, putaça.
Então começou a correr o boato que o Bofe Freitas iria vender o pico. Foi um TITITI danado, cotovelos em polvorosa. Os cagoetas perceberam a onda, e no mocó já abandonaram o local. Saíram no mais puro calote. O Amesquinhados desandou. A moda virou merda.
O tempo criou outros estrumes, viu Dunga reassumir a seleção brasileira, e hoje o Amesquinhados virou Igreja dos Valores Reacionários. 


O cofre da Igreja ganhou o carinhoso nome de Bom Pastor. Vive cheio de buf…

MOÇOILA DE FINO TRATO

Robespierre, moçoiola de fino trato. Criado na Zoropa. Preconceituoso pra dedéu: pobre ele chama de nóia, boy ele chama de hipster.


Aposta no sobretudo como look. Quer apupo, quer ORGIA. O Robespierre é puro luxo revolucionário na passarela dos intocáveis. Quer coquetel de doce pra ficar louquíssimo e se esbaldar rindo dos outros. É ousado na balada e tem referências interessantes: já foi amante VIP de Tony Iglu, renomado suíço vanguardista da anti-música estetoscópia.


- E ae boy, dá um real!

Ai, minha quadrada. CADÊ MINHA QUADRADA?? Gente, se eu tivesse pego ela antes de sair de casa. Mas não. Vou satisfazer esse nóia, gratidão.

- Aceita cartão?

GARRAFA VAZIA EM SÃO CARLOS!

Garrafa Vazia em São Carlos, no último sábado.


Festival Metalpunk "Pull The Plug", edição de número 13!
Tradicional festival que reuniu:
Hippies not Dead Violent Illusion Krokodil Abdicated Garrafa Vazia.

Foi do caralho! Valeu Hugo Brito, valeu pessoal que colou! É nóis!
Diogo Brioco usa camisa pólo listrada, estilo Mengão. Sobre o mamilo esquerdo exibe um cavalo gigante costurado, todo vermelho, muito chique.

FÁTIMA DO BEM

Ludão foi curtir um vídeo do Deicide no YouTube e aí a Fátima Bernardes apareceu segurando um prato de dobradinha.
Ela pensa pelo Brasil.

Vende comida pro povão. Ela é a Fátima.

É tipo um Pedro Bial: um cara do bem que ensina o Brasil a pensar - seja no Big Bróder ou no seu programa novo, que tem nome de música de Jota Quest.

O Brasil sem Cervantes, mas com Globo. O Brasil sem Kafka, mas com a Fátima.
Fátima.

EU SOU MAIS TINTAS COLOR HUMILDE NA CABEÇA

O guerreirão descansa no banco da Praça Central.


De bonézão TINTAS COLOR na cor preta, surradão, ele respira firme e bem simpático.

Espere, há um aglomeração poucos metros dali: um homem fala para uma pequena multidão toda deslumbrada. 

Ele vende algum milagre de quinta categoria, de praça em praça. Mas porra, usar um microfone colado na fuça igual o da Madonna não é legal.
O charlatão vende ilusão e o Felipão e o Parreira mediocridade.


Eu sou mais TINTAS COLOR humilde na cabeça.

O sol do meio dia guardado na memória, a Praça Central de Rio Claro derretendo em simplicidade.
- Tira esse gelo da minha calça!

- Você é muito fogosa...


- Tira, tira - rápido !

Aos poucos o gelo, o gelinho, foi derretendo  no rego, escorreu como água de torneira - gelando sem massagem o ânus da Eliana Jeba.

UM COTONETE SUJO

Clílton arremessou um cotonete sujo na direção da Alcileide.
Ela, heroicamente, se esquivou, na valentia.
Na cara amarrada do Clílton, o sentimento de raiva se fundiu em duas pitadas de frustração adolescente.
- Otário !

MEMÓRIAS DA COPA 2014

Ribéry no Morumbi, voando baixo, golaço num chutaço, finalzinho de jogo.
Radamel Falcão García num sem-pulo violento, perdido pelo ar, destrói a zaga, vende pela arte -e o golaço a rede estufada, de encher os olhos, lavar a alma.
Eto'o é o nome do jogo. Camarões 2 X 1 Brasil - a seleção da CBF está fora da Copa na primeira fase, e Felipão comete o suicídio atirando em suas pantufas gaúchas.


SPLIT HIPPIES NOT DEAD & GARRAFA VAZIA [DOWNLOAD]

Gravado no final de 2013.

Hippies not Dead

1- Conflito de Egos
2- Panos Quentes
3- Não sou exemplo
4- Nada é suficiente
5- Cirrose (Garrafa Vazia Cover)

Garrafa Vazia

1- Meio Marmitex
2- Toscão
3- Não atenda o celular
4- Risólis Voador
5- V de Vitória
6- Toca uma pra mim (Hippies not Dead Cover)




Download:
http://www.4shared.com/rar/EmyDGP9oba/2013__BRA__SPLIT_HIPPIES_NOT_D.html?

EZEQUIEL

Tá dóidão, Ezequiel? 
Está.
Coletes brancos, luvas plásticas brancas, CORAÇÃO PELUDO, no esterco um bolinho de gente agarrou o Ezequiel,  na camisa de força um pum.

ancestral brazoca desgraça com salsicha primitivo pênis
Um sapeca na LOJA DE LINHAS prova cetim e lantejoula.



GALVÃO BUENO INVADE VENEZA

E o Galvão Bueno entrou na Padaria Veneza.
Pediu um sucão Xandó geladíssimo, pura laranjada pro gogó.

Olhos acesos, arregalados: o Galvão pagou tudo com um time de notas de dois reais, seu hálito Natu Nobilis, o Galvão deixou cair uma moeda amarelinha de dez centavos - quando foi se abaixar a calça fez créqui, o episódio deixou o balcão constrangido, os pães transformaram-se em gargalhadas, o café desceu rosa da máquina pra Juraci, mas o Galvão é mais objetivo: deu adeus.

De vidro, a porta abriu a boca: varrendo a padoca, em luz 100% amarela, de pele radiosa, acabaram-se as sombras.  Iluminadas, as bolachas, as cadeiras, uma nova Veneza - atendentes-suprimentos-máquina-de-café-ocaixa-geladeiras-estufa começou mexer a peruca:
E viva o espírito de alegria, diversão! Vamos assistir aquele futebolzinho na moral, sem trucidar na bordoada algum possível algoz que a raiva constrói em carniça metafísica.

CELSINHO PECULATTO

Celsinho Peculatto disse: "dois pastel e um CHOPPS". Ê Cérsin nota farsa. Encheu a cara de porções de polenta, devorou os pastéis babando gula, derramou na alma caravanas de chope - e oito e quinze da noite foi correr nu na linha do trem em Rio Claro.

FEELINGS

Era um forrózin trolado de bão. O Afanaor tava naquele rala coxa assanhado com a Dirce. Era um pega pra capar nervoso, um enrosca peru aqui e acolá, os dois estavam enchendo de safadeza o salão. Resolveram por uma sequência rápida de entreolhadas maliciosas que o negócio era sair dali pra resolver aquele problema.

De mãos dadas, ganhavam a calçada pra ir prum mocózinho quando um sujeito encapuzado fez a abordagem. Situação complicada na esquina da Rua Madeixas.
- Perdeu.
O Afanaor cresceu, "perdeu o que seu porra?" e desceu logo uma moquetona na bolota do fulano, bate Afanaor! - socão na fuça no zóio, o encapuzado caiu meio maria-mole, e a Dirce fez xixi.

FALTOU PAPO RETO

Ninguém entendeu nada. O colega entendeu patavina. A população bulhufas. 

O treinador obsoleto, no meio da competição, disse aos jornalistas que se arrependeu de levar um dos atletas. Todo mundo deu de ombros? Não. Agora queremos a verdade. Olhos nos olhos. E o elenco ficou com a pulga na cachola. Os jogadores ficaram cabreiros. E uns voltaram a chorar, foi o caso do Jô.