sexta-feira, abril 29, 2016

POGO

O pogo levantou a roça, o pogo chapou inté dorminhoco.

Fiquei torto, ele disse não, eu não sou subserviente.

Foi o que estralou, e o pogo não parou.

Era a chapação dos hardcore punk.

quinta-feira, abril 28, 2016

Marmanjo e chapado,  de zóio trincado no banco da praça.

As frases saem esquisitas, disse Serginho.

A vida é o pega-pega da morte, avisaria o Serginho Kafka.

sábado, abril 23, 2016

Nossos heróis , por mais que o ceticismo avance. Nossos trutas, Machado Ramones. Nossos porres, nossos explosivos!

sexta-feira, abril 22, 2016

Heróis das arturas!


Somos destruidores.

O tricolor paulista representou.

A peleja  em La Paz era brutal, e nós powerviolence arrancamos o empate - com 3600 metros  de altitude conspirando contra nosso manto sagrado.

Porque sobrou atitude, entrega. Somos destruidores, jogamos com alma, como gigante na garra estralantes, somos vulcão na chuteira.

Saímos classificados, sob
adrenalina do capeta - e agora é mais uma guerra, desta vez contra nuestros hermanos mexicanos.

TRI-CO-LOR !

quarta-feira, abril 20, 2016

sexta-feira, abril 15, 2016

Café

De repente você é o café. Vive a transformação,  destemido.

Você  não tem medo de pronunciar-se.

Pode pular mais alto que a vida, das novas alturas de  empolgantes dias.

Clerces

Clerces entra no Solange Super. Clerces escolhe um carrinho enferrujado. Gosta dos carrinhos mais baqueados. Na condução das compra , cata um mandiopã e vaza. Clerces abandona o Solange Super, o sol suando cachaça.

Demolir

Aí sim, num crimão get it on.

Demolition Doll Rods na cachola, cabeça vitrola.

Noite quente, temperatura  terror temperadão - satanás de boca seca.

Preocupe-se com os detalhes.

Os detalhes deitam doentes,  depois ao meio dia estão bebendo cachaça, beldo demonzords despertados.

Bagana Jones gruda o fuzz no pente, grudado no tempo, no espaço grudado fuzz explode dopachado.

Acordes podres, grito sujo.

Descansar antes de morrer prefiro dançar até sangrar, degolado marasmo.

quinta-feira, abril 14, 2016

Um dia recheado

Hoje sim.

Acompanhar futebol, viver a paixão: pluralismo  de doidera também  disponíveis no cardápio.

E no playoff do basquete da NBB, o bagulho foi doido:  o basquete  de Rio Claro eliminou Franca.

Depois o  tricolor destruiu o River  Plate. 

A torcida incendiou os dois jogos, e o Morumba viu 51 mil pessoas baterem na maciota o recorde de público no ano.

Simplesmente  animal - dia recheado, el espaço-tempo arrebatador, numa quarta-feira  pra lá de viagem.

sábado, abril 09, 2016

BOATO OU LOROTA?


Quando esse blog foi procurado pela Editora Abril, a Tininha levou um susto.

Quem poderia se interessar em publicar tais asneiras?


Mas sim, a sondagem era real.

E, pasme - o pagamento seria efetuado em cheque!

O Miasminha curtiu-se, aumentou o som, ali na dele, ouvindo "O Imperdoável", do grupo Metallica.

Miasminha apreciava o material do conjunto, e lembrou-se  saudoso das montanhas de fitas k7, os hits gringos dos anos 80 e 90 nas fm´s.

terça-feira, abril 05, 2016

MUITA CURTIÇÃO



Instalou-se nele o vírus bobóide. Pilhadão na alegria cheia de bobeira, surgia ele sussa pela tarde, perambulando massa, montando sons sem sentido, na sala. Ele ia do improviso ao balbucio incompreensível, si sil, fu fu, pilhadão de bobice, puramente curtição - ele era um cara firmeza.

Era chegada ela, a hora da farra. Então, levantava os dois indicadores, as mãos em festa para o céu, balançando o corpo todo, afinal aquele era seu carnavalzinho suavão, como se o rumo do feliz foliasse nervoso pelo corpo, e a sala também esquentava como seu coração.



Alô, alô o vovô chegou. Põe mais cachaça nesse coração churrasco, vovô! Põe folia! Porque simpatia, ele e o vovô também tinha!

Lembrou-se de mais riso. É. O seu tio era dono de uma expressão chique demais: "que foi? dinheiro não tenho...". Era aquela coisa de onda certa torcedor ancestral do Flamengo...



E depois ligava a tevê e se amarrava no Fox Sports Rádio. Na mó fissura. Via as cornetadas, a voz do torcedor, curtia sem fim essa onda de muita zuera pra azucrinar a tarde em festança pelo mundão.

E pra cair mais ainda na pilhada da risada, ele deu o play no vídeo abaixo:


OUVINDO HARDCORE E LENDO ESCRITORES BRASILEIROS E DO TIO SAM

As pessoas estão sem coragem.  As pessoas brincam verbalmente nas redes sociais perpetuando o lado cômodo da vida.  Já é uma bela bos...